Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

ufcd stc7

Trabalho realizado por: Laura Paula, Carolina Fontes e Mariana Santos

ozono

INDice

O que contribuiu, na década de 90, para a sua formação?

O que podemos fazer, enquanto sociedade, para providenciar a diminuição do buraco?

O que estará a contribuir agora?

Como tem sido a sua evolução?

Quantos países com a área de Portugal lá cabem?

o que é o buraco na camada de ozono?

O que é o ozono?

1. o que é o ozono?

  • O ozono, também conhecido como oxigénio triatómico, é uma forma alotrópica do oxigénio. Consiste em três átomos de oxigénio (O3) e é uma molécula instável que se forma naturalmente na atmosfera terrestre quando a luz solar quebra as moléculas de oxigénio (O2).
  • O ozono desempenha um papel crucial na estratosfera, onde ajuda a proteger a Terra dos raios ultravioleta do sol, mas pode ser prejudicial à saúde quando presente em altas concentrações à superfície terrestre, onde é considerado um poluente do ar.

ozono ou o3

2.o que é o buraco na camada de ozono?

O buraco na camada de ozono, é uma área onde a concentração de ozono na estratosfera é drasticamente reduzida, principalmente sobre as regiões polares, devido à liberação de substâncias químicas como os clorofluorocarbonetos (CFCs), que destroem as moléculas de ozono.

  • O buraco na camada de ozono é uma área variável e não possui dimensões fixas. No entanto, para fornecer uma estimativa aproximada, o tamanho médio do buraco na camada de ozono sobre a Antártica durante a sua extensão máxima costuma ser cerca de 20 milhões de quilômetros quadrados.
  • Portugal tem uma área de aproximadamente 92.000 quilômetros quadrados. Dividindo a área do buraco na camada de ozono pela área de Portugal, obtemos aproximadamente 217 países.

3.quantos países com a área de Portugal lá cabem?

Desde a descoberta do buraco na camada de ozono, foram tomadas medidas significativas para mitigar este problema. O Protocolo de Montreal, assinado em 1987, foi um marco importante neste sentido. Este tratado internacional comprometeu os países signatários a reduzir e, eventualmente, eliminar a produção e o consumo de substâncias que esgotam a camada de ozono, como os CFCs. Como resultado, observações científicas mostraram uma estabilização e até mesmo uma recuperação parcial da camada de ozono em algumas áreas.No entanto, o processo de recuperação da camada de ozono é lento e complexo, devido à longa vida das substâncias que a degradam na atmosfera. Portanto, embora tenham sido feitos progressos significativos na redução do buraco na camada de ozono, ainda é necessário monitorização contínua e a implementação rigorosa de medidas de proteção ambiental para garantir a sua recuperação total e a saúde contínua do nosso planeta.

4.Como tem sido a sua evolução?

Embora os CFC's tenham sido proibidos em 1987 as emissões anteriores permaneceram na atmosfera e continuaram a contribuir para a degradação da camada de ozono.Além disso, a década de 1990 testemunhou um aumento na compreensão científica dos processos atmosféricos que levam à formação do buraco na camada de ozono. Isso incluiu uma melhor compreensão das interações entre os compostos químicos libertados na atmosfera, as condições atmosféricas específicas e os padrões de circulação atmosférica que favorecem a depleção do ozono.Enquanto as emissões de CFCs diminuíam gradualmente devido às regulamentações e ao Protocolo de Montreal, os cientistas também observaram a emergência de outras substâncias químicas, como os halons e os clorofluorcarbonetos (HCFCs), que contribuíam para a degradação do ozono.

5.O que contribuiu, na década de 90, para a sua formação?

6.O que estará a contribuir agora?

Atualmente, o aumento do buraco na camada de ozono está relacionado principalmente às emissões de substâncias químicas que substituem os CFCs, como os HFCs, introduzidas após a proibição dos CFCs pelo Protocolo de Montreal. Embora essas substâncias não afetem diretamente a camada de ozono, contribuem para o aquecimento global. Além disso, mudanças climáticas e alterações na circulação atmosférica podem influenciar o tamanho do buraco na camada de ozono. Para proteger a camada de ozono, é essencial implementar acordos internacionais e reduzir as emissões de substâncias prejudiciais.

7.O que podemos fazer para a diminuição do buraco?

Para diminuir o buraco na camada de ozono, é crucial continuar com as medidas já em vigor e adotar novas estratégias:- Redução de substâncias químicas prejudiciais: Continuar a aplicar o Protocolo de Montreal e as suas emendas, proibindo o uso de substâncias como os clorofluorocarbonetos (CFCs), halons e outros compostos prejudiciais para a camada de ozono.- Promoção de alternativas seguras: Estimular o desenvolvimento e uso de alternativas seguras e ecológicas para substituir os produtos que contêm substâncias nocivas para a camada de ozono.- Monitorização e investigação contínua: Investir na monitorização atmosférica e investigação científica para compreender melhor as causas e os efeitos do buraco na camada de ozono e desenvolver estratégias mais eficazes para a sua mitigação.Seguindo estas medidas e continuando a colaboração global, podemos trabalhar para reduzir ainda mais o buraco na camada de ozono e proteger o nosso planeta dos danos causados pelos raios UV nocivos.

conclusão