Want to make creations as awesome as this one?

More creations to inspire you

SEVEN WONDERS INFOGRAPHIC

Horizontal infographics

7 CONTINENTS

Horizontal infographics

A2 - ABENTEUER AUTOBAHN

Horizontal infographics

STEVE JOBS

Horizontal infographics

OSCAR WILDE

Horizontal infographics

TEN WAYS TO SAVE WATER

Horizontal infographics

NORMANDY 1944

Horizontal infographics

Transcript

George

Leonor e Filipa

Professora: Laurinda Fernandes

Ano letivo 2023/2024

Lorem ipsum dolor sit amet, consecter adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt

Índice

A complexidade da natureza humana

Caracterização das personagens

Caracterização da história pessoal e social

Caracterização das diferentes idades

O diálogo entre realidade, memória e imaginação

Metamorfoses da figura feminina

Tipo de narrador

Recursos expressivos

Justificação para o título do conto

Características do conto em “George”

Estrutura interna

Localização espáço-temporal, a nível físico e psicológico

biografia

Resumo do conto

Definição e características do conto

Referências

Leonor ; Filipa

This work is licensed under CC BY-NC-ND 4.0

Ferramentas utilizadas: ChatGPTGoogle BardSites consultados:

https://www.bing.com/images/create?cc=br

https://www.studocu.com/pt/document/ensino-medio-portugal/portugues/george-resumo-do-conteudo-e-analise-tematica/14467468

https://prezi.com/erwkr9ukgoph/george-de-maria-judite-de-carvalho/

https://portugues-fcr.blogspot.com/2020/02/analise-do-conto-george.html

Fim

Leonor; Filipa

This work is licensed under CC BY-NC-ND 4.0

Definição e características do conto

O conto é um género narrativo curto e linear, apresentando uma unidade de ação (os factos surgem concentrados e concorrem para um único desfecho), de tempo (a duração de uma ação geralmente é curta e imparcial) e espacial (a ação é concentrada em apenas um espaço), além de um número reduzido de caracteres. Por ser um texto que apresenta uma ação breve, geralmente recorre-se a métodos de sugestão e alusão, o que faz com que alguns eventos não sejam apresentados e descritos detalhadamente.

Resumo do conto

George, uma mulher de 45 anos, visita Portugal depois de ter se mudado para Amsterdã aos 18 anos em busca de liberdade e realização pessoal, tornando-se uma pintora renomada.Após 20 anos, George retorna à sua cidade natal, criando uma interação imaginária entre a George adulta, a adolescente Gi e a Georgina idosa. Ao revisitar Portugal, George experimenta uma mistura de emoções, relembrando o passado.Ao explorar a vila, George sente que não pertence mais àquele lugar, pois muita coisa mudou desde sua partida, levando-a a refletir sobre si mesma e sobre o sentido da vida.Ao retornar de trem para Amsterdã, George recorda memórias e se distancia desse passado à medida que o veículo se afasta fisicamente da estação.O conto gira em torno das três fases da vida: juventude, maturidade e velhice. No entanto, essas fases não são apresentadas linearmente no texto, mas sim de acordo com a "viagem" compartilhada com o narrador, conforme ele relembra suas memórias.

Recursos expressivos

Interrogação retórica- “perdeu ou largou?”(l.5-8) Enumeração e metáfora- “a cal e as pás da terra, e a pedra, e o tempo e ainda a distância e a confusão da vida de George, não prejudicaram” (l.17-19) Uso expressivo de adjetivo e repetição- “Fez loiros os cabelos, de todos os loiros, um dia ruivos, por cansaço de si, mais tarde castanhos, loiros de novo, esverdeados…”(l.33-35) Antítese e anáfora- “Queria estar sempre pronta para partir sem que os objetos a envolvessem, a segurassem, a obrigassem a demorar-se mais um dia que fosse. Disponível, pensava. Senhora de si. Para partir, para chegar. Mesmo pra estar onde estava.” (l.54-57)

Justificação para o título do conto

Este conto intitula-se de “George” por falar sobre a vida de uma mulher que se chama George nas três fases da vida: adolescência, vida adulta e a velhice. Assim, este conto retrata a vida toda da personagem desde a sua adolescência até à velhice. Pode haver algum paralelismo com a história de vida da autora George Sand que adotou um nome masculino para conseguir publicar as suas obras.

Maria Judite de Carvalho

Maria Judite de Carvalho, nascida em 18 de setembro de 1921 e falecida em 18 de janeiro de 1998 em Lisboa, foi uma renomada escritora portuguesa do século XX. Reconhecida como uma das vozes femininas mais influentes da literatura nacional, deixou um legado significativo através de seus contos, novelas, crônicas, peças de teatro e livros de poesia. Durante a sua carreira, contribuiu para vários jornais como Diário de Lisboa, Diário Popular, Diário de Notícias e O Jornal. Casada com Urbano Tavares Rodrigues, viveu em países como França e Bélgica entre 1949 e 1955, período que antecedeu sua estreia no mundo literário. Posteriormente, Maria Judite de Carvalho fixou residência na capital portuguesa, onde dedicou os demais anos de sua vida. Algumas das obras mais famosas da autora são: Tanta gente,Mariana(1959), As palavras poupadas (1961) e Flores ao telefone (1968). O conto “George” está inserido no último livro publicado em vida pela autora em 1995, intitulado “Seta despedida”.

Tipo de narrador

Neste conto o narrador é heterodiegético, mais conhecido como narrador omnisciente uma vez que não participa nem faz parte da narrativa que conta. Alguns exemplos: “Caminham pois lentamente…”; “Quando falar não criará espanto, um simples mal-estar.”; “É esquisito não lhe causar estranheza que Gi continue tão jovem…"

Caracterização das personagens

Gi: Uma descrição de personagem que representa a fase da adolescência, com uma personalidade alegre e esperançosa, roupas coloridas e cabelo comprido e solto. É a outra personalidade de George quando era jovem e representa a oportunidade de transformação. “a jovem frágil de dezoito anos”.George: É uma mulher de 45 anos rica, materialista e sofisticada, é uma pintora de renome a nível europeu e por isso leva um estilo de vida normalmente proibido às mulheres, como é o caso do seu bem-estar económico. Usa vestidos largos e claros e tem mudanças sucessivas da cor do cabelo. Apesar de ser rica e reconhecida, George é uma mulher instável em termos afetivos e está em constante luta com o passado e com o futuro. "Teve muitos amores, grandes e não tanto, definitivos e passageiros, simples amores, casou-se, divorciou-se, partiu, chegou, voltou a partir e a chegar, quantas vezes?".Georgina: Uma personalidade serena e sábia, que aceita a vida como ela é e está conformada com o seu destino. Representa a fase da velhice e simboliza a sabedoria e a aceitação. Tem uma aparência clássica e elegante, com cabelos brancos e olhos serenos.“cabelos pintados de acaju”. É uma projeção de George no futuro.

Localização espáço-temporal, a nível físico e psicológico

A autora opta por uma abordagem mais atemporal e universal, centrando-se nas dimensões físicas e psicológicas do protagonista. O espaço físico neste conto é o Porto (“na infranquentada Rua Fernão Penteado, na interseção com a travessa de João Roiz de Castelo-Branco”), no entanto, a ênfase recai sobre o espaço psicológico de George, explorando sua mente e emoções nas diferentes etapas da sua vida. Essa abordagem ampla contribui para a atemporalidade da obra, permitindo que os leitores se identifiquem com os conflitos humanos universais apresentados na história.

Caracterização das diferentes idades

Juventude

A juventude de George é abordada, especialmente na exploração de sua identidade e nas escolhas que moldam seu caminho. Suas experiências nesse estágio influenciam diretamente seus relacionamentos e suas perspetivas de vida.

Vida adulta

A fase adulta é mencionada como um período vazio e de nostalgia

Velhice

A novela mergulha profundamente nas reflexões interiores de George, oferecendo uma perspetiva sobre sua velhice.

A complexidade da natureza humana

A complexidade da natureza humana em "George" é explorada através das emoções complexas, relacionamentos intrincados, ambiguidades morais e a busca universal por identidade e significado na vida. Esses elementos contribuem para uma representação rica e multifacetada da condição humana na narrativa.

Metamorfoses da figura feminina

"George" de Maria Judite de Carvalho explora as complexidades das relações interpessoais e a metamorfose da figura feminina na vida da protagonista, George. O conto apresenta múltiplas figuras femininas, que modelam a sua personalidade ao longo de diferentes estágios. Essas influências não apenas impactam as suas mudanças emocionais e psicológicas, mas também desencadeiam conflitos internos, refletindo sobre a sua vida e relacionamentos. A metamorfose da figura feminina também pode ser interpretada como um simbolismo mais amplo da feminilidade, desafiando e moldando a identidade da protagonista. Além disso, o diálogo com seu "eu-passado" e "eu-futuro" traduz a evolução do papel da mulher ao longo do século XX, desde uma jovem sonhadora até uma mulher emancipada e independente.

Características do conto em “George”

No conto “George” é possível encontrar várias características de um conto, como por exemplo o espaço, esta narrativa decorre apenas no Porto, ou seja, tal como num conto a ação concentra-se num só espaço, outra característica que pode ser identificada são os personagens, nesta narração os únicos personagens são a Gi, a George e a Georgina, confirmando-se a presença de um número reduzido de personagens, e por fim como num conto tradicional, nesta historieta também a duração de cada ação é curta e imparcial.

O diálogo entre realidade, memória e imaginação

O conto centra-se na história de George, uma mulher de quarenta e cinco anos, pintora bem-sucedida, com uma vida financeiramente confortável. Numa visita à localidade onde cresceu para vender a casa de família, George pensa em Gi- o seu «eu-passado», ela própria quando tinha dezoito anos. Quando vai embora depois desta visita, no comboio,George imagina-se a falar com Georgina - o seu «eu-futuro», ela própria com setenta anos. Estabelece-se, assim, um diálogo entre a realidade, a memória e a imaginação.

Estrutura interna

O conto centra-se nas três idades da vida: a juventude, a maturidade e a velhice. As três idades não são, porém, apresentadas no texto de forma linear, mas sim em termos de uma “viagem” que o narrador faz na sua memória.

Caracterização da história pessoal e social

História pessoal: A história pessoal gira em torno da personagem principal, George, uma mulher solitária e reservada que vive uma vida monótona e sem grandes emoções. A narrativa revela pouco a pouco aspectos da sua vida, mostrando a sua solidão, as suas frustrações e a sua dificuldade em se conectar com os outros. A história pessoal de George é marcada por um profundo sentimento de vazio e alienação, destacando a luta interna da personagem para encontrar significado e conexão num mundo que parece indiferente aos seus anseios. História social: A história social aborda questões como solidão, isolamento e falta de comunicação entre as pessoas, refletindo aspectos da sociedade contemporânea. Através das interações de George com os outros personagens, o conto revela as tensões e os conflitos subjacentes nas relações familiares e sociais, destacando a dificuldade de conexão genuína e compreensão mútua em um mundo marcado pela alienação e pela falta de comunicação.