Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

  • Marta Pereira nº19
  • Deise Martins nº7
  • Beatriz Rafael nº3

A Economia Portuguesa

Do pós-guerra ao inicio da década de 70

Conclusão

Bibliografia/webgrafia

10

09

Biografia de Américo Tomás

Biografia de Edgar Cardoso

08

07

Conteúdos

A estagnação do mundo rural

01

02

03

A emigração

04

05

Introdução

06

O surto industrial

A urbanização

Novos comportamentos

INTRODUÇÃO

Neste trabalho iremos abordar temas importantes e que marcaram as décadas de 50 e 60, como o surto industrial, a emigração e os novos comportamentos. Iremos ainda dar a conhecer duas figuras importantes destas décadas, nomeadamente Américo Tomás e Edgar Cardoso.

A ESTAGNAÇÃO DO MUNDO RURAL

  • falta de vias de comunicação
  • Mau dimensionamento das propriedades
  • Exploração de mais de um terço da área agrícola em regime precário
  • Baixos preços dos produtos agrícolas
  • Miséria da maior parte dos trabalhadores rurais
Os impedimentos do desenvolvimento da agricultura deve se a vários fatores como:
Litoral- crescença na indústria Mundo rural- permanecia pobre e estagnado
Anos 50 e 60 após o fim da segunda guerra mundial e fim do estado novo
Porém a indústria foi ganhando potência levando a agricultura a ser deixada de lado e desaparecendo com a produção Agrícola Nacional
Estes problema as geraram um índice de produtividade muito inferior a média europeia

A EMIGRAÇÃO

Correspondem a um crescimento demográfico intenso no país, originando um excesso de mão de obra.

Fenómeno persistente, a emigração reduziu-se drasticamente nas décadas de 30 e 40, devido:

  • à Grande Depressão
  • à Segunda Guerra Mundial

Grande parte da emigração fez-se de forma clandestina.

O contingente migratório português provinha de todo o Portugal, com os principais destinos:

  • França
  • Américas do Norte e do Sul
Esta forte emigração deveu-se:
  • aos altos salários do mundo industrializado;
  • ao clima de repressão política;
  • à rejeição de muitos face ao recrutamento para a Guerra Colonial;

Entre 1946 e 1973 terão emigrado cerca de 2 milhões de portugueses, principalmente na década de 60.

Para Portugal, como país e sociedade, a emigração excessiva representou:

  • Sinal de pobreza e de subdesenvolvimento;
  • Escassez de trabalhadores;
  • Envelhecimento da população;
  • Privação do normal convívio com as famílias;
Para o Estado Novo, a emigração representou:
  • Pacificação social e equilíbrio económico.

O Estado procurou salvaguardar os interesses dos emigrantes celebrando acordos com os principais países de acolhimento e, desse modo, proporcionou mais riqueza a Portugal.

O SURTO INDUSTRIAL

  • o seu fim era de subtituir as importações

1945-indústria assumida como prioridade económica, mas dentro do nacional modelo de autarcia:

Com as dificuldades do tempo de guerra, todos os que defendiam a industrialização como meio impreescindivel para o desenvolvimento nacional ganham força.

A segunda guerra mundial afetou seriemante a economia portuguesa que dependia de fornecimentos estrangeiros, reinando assim no país a pobreza e o aumento dos preços.

1953- caracterizam a politica de desenvolvimento do Estado Novo.
A participação na OECE reforçou a necessidade de um planeamento económico, levando assim á criação dos Planos de Fomento.
1948- Portugal assina o pacto fundador da OECE (Organização Europeia de Cooperação Económica) que se integrava nas estruturas do Plano Marshall.
1960
  • um dos paises fundador da EFTA
  • integra-se nas estruturas financeiras mundiais FMI e BIRD
1962
  • assina em Genebra o protocolo do GATT
Anos 60 trazem alterações à politica económica portuguesa. No decurso do plano ll Portugal viria a integrar-se na economia europeia e mundial.
Os planos l e ll de Fomento deram prioridade á criação de infraestruturas e á industria transformadora de base, mantendo a lei do condicionamento industrial.
A sua adesão a estas organizações marca assim a inversão da politica de autarcia do Estado Novo.1968- nomeação de Marcelo Caetano para o cargo de presidente do conselho ,inaugura uma orientação completamente nova com o Plano lll (1968-73)-

A URBANIZAÇÃO

levou a criação de subúrbios na “Grande Lisboa” e “ Grande Porto” A falta de infraestruturas gerou um agravamento faltando patas as pessoas com poucos recursos:
  • habitações sociais
  • estruturas sanitárias
  • redes de transporte eficientes (seta)
A urbanização cresceu bastante, sobre tudo no litoral, Braga e Setúbal, onde ser centram as indústria e os serviçosUrbanização
Construção de bairros — aumento da criminalidade e prostituição (Seta) mesmo com a criação de pontes e outras vias de comunicação as redes de comunicação continuavam sobre lotadas e demoradas O crescimento das cidades fez com que Portugal chegasse ao nível dos padrões europeus. Contribuiu para a:
  • Expansão do setor dos serviços
  • Maior acesso aos bens
  • Ao ensino
  • Meios de comunicação

NOVOS COMPORTAMENTOS

O tradicionalismo de Portugal estava a desmoronar-se

As novidades chegavam por diversas vias:

  • os emigrantes regressavam às suas aldeias profundamente mudados;
  • os turistas que animavam as praias e as cidades com a sua informalidade;
  • as lojas atreviam-se a divulgar a moda londrina;
  • programas de rádio e revistas de música;
  • a televisão trazia aos lares filmes e programas estrangeiros.

Novidades estrangeiras chegaram aos portugueses

Década de 60

BIOGRAFIA DE EDGAR CARDOSO

  • Engenheiro de pontes português no século xx
  • nascimento-maio de 1913
  • falecimento-julho de 2000
  • 1938-1951-Engenheiro Civil da JAE (junta autónoma das estradas)
  • Obras que projetou:
1949-ponte de abragão ou ponte do canal1952- ponte na foz do rio sousa1956- reabilitação da ponte Luiz1961- viaduto de vila franca de xira1969- faculdade de medicina, matemática e humanidades

BIOGRAFIA DE AMÉRICO TOMÁS

  • Politico e militar
  • 13º presidente da republica portuguesa (1958-1974) ultimo do estado novo
  • nascimento- novembro de 1894
  • falecimento- setembro de 1987
  • ministro da marinha portuguesa (1944-1958)
  • Foi expulso aos 80 anos do cargo da marinha, sendo enviado para a Madeira, onde partiu para o exilio no Brasil

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO

Com este trabalho prentendemos abordar temas das décadas de 50 e 60, nomeadamente o surto industrial, a urbanização, a emigração e ainda os novos comportamentos. Analisou-se ainda gráficos relacionados com a matéria e apresentou-se uma pequena biografia sobre Américo Tomás e Edgar Cardoso, figuras importantes nas décadas apresentadas.

BIBLIOGRAFIA/ WEBGRAFIA

  • Livro de história "Entre Tempos" 12º ano, Parte 2, Porto editora
  • https://pt.wikipedia.org/wiki/Edgar_Cardoso
  • https://www.presidencia.pt/presidente-da-republica/a-presidencia/antigos-presidentes/americo-tomas/