Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

Seminário da leitura e a escrita

START

Livro vs Filme

Apresentando

A invenção de Hugo Cabret

  • Autor e Ilustrador: Brian Selznick
  • Editora: Scholastic
  • Ano da Publicação: 2007
  • Tradução: Pedro M. Ferreira
  • Livro recomendado para o 3ºciclo (PNL)

o livro

  • Escritor e ilustrador;
  • Nasceu a 14 de Julho de 1966, em New Jersey, EUA;
  • Estudou em "Rhode Island School of Design".

O Autor: bRIAN sELZNICK

Obras notáveis

"Wonderstruck"(2011)

"Ther Marvels"(2015)

"Kaleidoscope"(2021)

Ganhou destaque pela ilustração das capas e caixas da edição de 20 anos da saga Harry Potter

Medalha Caldecott com o livro “A Invenção de Hugo Cabret”

2008

2018

  • Realizador: Martin Scorsese
  • Guionista: John Logan
  • Título Original: Hugo
  • Em Portugal: A Invenção de Hugo
  • Data Lançamento: 2011
  • Categorias: Drama, Família, Mistério e Aventura
  • Duração: 126 min
  • Classificação: para todo o público

o Filme

+ INFO

Prémios

  • Cineasta, produtor, realizador e ator norte americano;
  • Nasceu a 17 de novembro de 1942, em Queens, Nova Iorque;
  • Formou-se em Cinema na Universidade de Nova Iorque.

o Realizador: Martin Scorsese

A Invenção de Hugo Cabret - Clipe Scorsese Cameron Interview

  • Decorreu nos anos 30 do século XX na França, Paris.
  • As ações passam-se, maioritariamente, numa estação ferroviária que comporta vários estabelecimentos.
  • Podemos também observar o interior dos relógios e áreas secretas onde Hugo vive e trabalha.

Tempo e Espaço

Filme
Livro
  • Aparece com muita frequência no enredo.
  • Tem todos os locais identificados no livro mais um: a florista.
  • Edifício mais robusto.
  • Janelas e portas ao redor.
  • Composta por diversos locais cruciais à ação.

Estação

  • Disposição dos mesmos elementos de formas diferentes.
  • Existência de relógios e partes dos mesmos.
  • Menos pormenores.
  • Tem elementos transversais com o filme como o baú no meio do quarto, a cama de Hugo e o móvel com os frascos dispostos.
Filme
Livro

+ INFO

Quarto de Hugo

  • A entrada da loja tem mais brinquedos do que no livro.
  • Representação da entrada da loja que contém diversos brinquedos de diversas formas e tamanhos.
Filme
Livro

Loja dos Brinquedos

Filme
Filme
Livro
Livro

Casa de George

Filme
Livro

“É a Terra do Nunca, Oz e a Ilha do Tesouro, tudo num lugar só”.

"Livraria, Novos e usados”

  • Cheira a “papel velho, pó e canela”;
  • Local quente e sossegado.
  • Foi nesta livraria que Hugo encontrou o livro“Manual Prático de Magia com Cartas e Ilusões”.

Livraria do Sr.Labisse

Livro
Filme

Espaço exterior da biblioteca

Espaço interior da biblioteca.

Nesta biblioteca Hugo encontra o livro “A Invenção dos Sonhos: A História dos Primeiros Filmes Alguma Vez Feitos”.

Biblioteca da Academia de Cinema

Cemitério
Cinema
Esquadra do Guarda da Estação

Outros Espaços

Hugo Cabret

É uma criança orfã que, depois de perder o pai, luta pela sua sobrevivência e pela descoberta da mensagem por detrás do autómato. Tem um grande fascínio por magia e pelo modo de funcionamento das máquinas. Este personagem é bastante curioso, corajoso e trabalhador!

Este personagem parece, inicialmente, pouco amigável e com mau feitio que privava a sobrinha de ver filmes. Ao longo do enredo vai desvendando a sua sensibilidade e paixão pelas artes, nomeadamente a magia.

Georges Méliès

Isabelle é orfã de pai e mãe e vive com os seus padrinhos. É uma menina bastante curiosa, sempre interessada em saber os segredos de Hugo. Mostra também ser inteligente e aventureira. Ao longo da história torna-se amiga de Hugo e ajuda-o na sua jornada para desvendar um mistério que o assola.

Isabelle

O autómato não é uma personagem de carne e osso mas é sem duvida uma figura de extrema importância para esta história.No livro é descrito como um objeto complexo “construído a partir de peças de relojoaria e de maquinaria delicada”.É capaz de desenhar uma imagem de um dos filmes de Georges.

Automato

O pai de Hugo surge apenas nos pensamentos do filho na parte inicial do filme e do livro, e desempenha o papel de uma pessoa carinhosa, orgulhosa e dedicada tanto à sua profissão como ao seu filho.

Pai de Hugo

Este personagem surge como alguém autoritário e bastante insistente no que toca à perseguição de crianças órfãs que só fazem asneiras.

Guarda/Inspetor da Estação

Claude Cabret é tio de Hugo. É ele que fica responsável por Hugo após a morte do pai. Caracteriza-se como um alcóolico e ladrão. Obriga o sobrinho a deixar a escola para o ajudar no seu trabalho com os relógios.Desaparece e deixa Hugo sozinho à sua mercê. Acaba por ser encontrado morto no rio Sena, graças ao seu alcolismo.

Tio Claude

Jeanne Méliès fora outrora uma atriz, apaixonada pela cinematografia, fazendo parte dos projetos do seu marido Georges. Amável, preocupada e sensível são três dos adjetivos que a descrevem.

Mama Jeanne

  • O Sr. Labisse é o dono na livraria da estação;
  • É muito amável com Isabelle deixando-a levar livros;
  • É o Sr.Labisse que indica a Biblioteca da Academia de Cinema.

Sr.Labisse

René Tabard é um personagem apaixonado pelo cinema que coleciona diversas obras e pertences relacionados com o mesmo, nomeadamente uma obra de Georges Méliès. Para além do seu fascínio pelo cinema é ainda um grande fã de Georges que acredita estar morto.

René Tabard

Este personagem é bastante amigável e companheiro que procura sempre ajudar os seus amigos, nomeadamente Isabelle e Hugo.

Este personagem aparece exclusivamente no livro, não sendo sequer referido no filme. Étienne aparece como sendo um conhecido de Isabelle que lhe havia proporcionado algumas idas ao cinema às escondidas.

Étienne

Relação entre as personagens

Isabelle e Hugo

Hugo e tio claude

Hugo e o seu pai

Hugo e George Méliès

No filme a personagem é ligeiramente diferente, mostrando o seu lado mais sentimental e companheiro com Isabelle, confiando nela mais cedo e deixando que esta se junte a ele para o ajudar a desvendar o mistério que está contido no autómato.

No livro, Hugo é mais reservado e não se mostra muito aberto a uma possível nova amizade, procura esconder ao máximo a sua vida e não tem grande confiança com Isabelle.

Hugo e Isabelle

Quando este personagem desaparece não só os cenários no quarto aparecem mais escuros como Hugo aparenta estar mais triste e solitário.

Em todas as cenas em que o pai de Hugo é recordado notamos a leveza e felicidade em Hugo, quer pelas cores vivas no filme quer pela descrição carinhosa de Hugo sempre que se refere ao pai.

Em ambos os suportes, livro e filme, verificámos uma forte ligação entre estas duas personagens.

Hugo e o seu Pai

Contrariamente à personagem anterior, o tio Claude não demonstra qualquer interesse pelo bem estar de Hugo utilizando-o apenas com interesse para que este faça o seu trabalho. O tio Claude tem, portanto, ao longo das poucas cenas, uma interação negativa com Hugo, ensinando-o a roubar e obrigando-o a trabalhar fazendo com que ele falte à escola.

Hugo e o tio Claude

Apesar de não terem começado a relacionar-se da melhor maneira, depois de Hugo começar a trabalhar na loja de brinquedos começam a criar uma ligação e percebemos que, afinal não são assim tão diferentes um do outro. Ambos gostam de magia e são fascinados por máquinas.

Hugo e o George Méliès

-----------------

-----------------

No filme surge a personagem Florista.

Sr.Labisse, o dono da livraria, oferece um livro de Robin Hood a Hugo.

Isabelle já frequentava o cinema com a ajuda do seu amigo Étienne, que a deixava entrar sem pagar.

Isabelle é proibida pelo seu tio de ir ao cinema.

O autómato é recuperado no museu e Hugo encontra-o no meio dos escombros do incêndio.

O pai de Hugo trás o autómato para casa e é lá que o vai concertando.

Algumas diferenças

Isabelle cai de uma cadeira quando encontram imagens dos filmes de Georges.

No livro Hugo fere a sua mão e Isabelle fratura a perna quando cai da cadeira.

A descrição dessa cena não aparece no livro.

Quando Hugo faz a manutenção de um dos relógios e deixa cair uma ferramenta no chão da estação.

Não há referência a nenhuma deficiência.

O Inspetor têm uma deficiência na perna.

Algumas diferenças

Recursos da Adaptação Cinematográfica de uma Obra Literária

O filme recria meticulosamente o ambiente de Paris no ano de 1930, capturando a essência e a estética da época.

O livro e o filme conta a história de forma bastante visual onde a narrativa se desenrola principalmente através de imagens e ações.

O filme capturou os temas centrais do livro incluindo a importâcia dos sonhos, da imaginação e da redescoberta da magia na vida quotidiana.

Muitas das cenas e ambientes descritos no livro foram recriados com cuidado e atenção aos detalhes no filme.

A escolha sonora do filme, composta por Howard Shore, contribuiu significativamente para criar o ambiente mágico e emocional da história. A música complementa as cenas e ajuda a amplificar as emoções dos espectadores.

O desempenho do elenco escolhido de atores ajudou a trazer as personagens do livro à vida de forma convincente .

Há uma grande perceção de movimento através dos sons de contexto, como os sons dos comboios, sons dos relógios, os sons da movimentação existente na estação.

Há um destaque maior em relação ao mecanismo do relógio, que é muito maior do que a personagem do menino Hugo.

No interior dos relógios dos relógios as cores são escuras e metalizadas.

Os grandes planos do interior da estação são iluminados pelas grandes janelas.

Nos planos onde aparece o Autómato, este está sempre iluminado com um foco de luz.

"A Invenção de Hugo Cabret" é uma homenagem ao cinema e à sua história. O filme apresenta referências a filmes clássicos e figuras importantes da indústria cinematográfica, como Georges Méliès.

Apesar desta obra ser ficção, apresenta vários aspetos relacionados com a realidade, especialmente no que diz respeito à história do cinema e à vida de George Méliès uma das personagens centrais do filme e o local onde se passa a maioria da história.

Aspetos do Filme Relacionados com a Realidade

George Méliès, foi uma figura real na história do cinema. Foi um dos pioneiros do cinema a explorar os efeitos especiais e a narrativa cinematográfica.

George Méliès:Nasceu a dia 8 de Dezembro de 1861, em Paris;Morreu de Cancro a dia 21 de Janeiro de 1938, também na cidade de Paris;Ilusionista e Diretor de Filmes Franceses;É considerado o pai dos efeitos especiais do cinema.

Os seus filmes mais conhecidos são: "A Viagem à Lua" (1902) e "Le Voyage à Travers L´Impossible" (1904), "O Homem de Cabeça de Borracha" (1901) e "A Confiança do Polo" (1912) ambos envolvem viagens estranhas e surreais.São considerados dos mais importantes filmes de ficção científica de todos os tempos.

"O Homem da Cabeça de Borracha"

Estação Ferroviária Paris - Gare Montparnasse

Imagem do livro "A Invenção de Hugo Cabret"

Embora a história de Hugo Cabret seja de ficção, a estação de Montparnasse, onde se passa grande parte do filme, é uma parte real da cidade de Paris que ainda hoje é um ponto de conexão fundamental para viajantes.

Hans Christian AndersenAutor DinamarquêsContos de Fadas

Júlio Verne Escritor Francês Histórias fantásticas de aventura

Relembrado pela personagem de Hugo, enumera alguns escritores de histórias que o seu pai lhe contava, sendo os mesmos escritores que existiram na realidade, como:

"O Homem Mosca" - com o Ator e Humorista Harold Loyd

O filme que a personagem de Hugo enumera que viu com o seu pai no cinema, no seu último aniversário e que se recorda bem, existiu na realidade

O acidente que é sonhado pela personagem principal de Hugo, tanto no livro como no filme, aconteceu na realidade.No dia 22 de Outubro de 1895, na Gare de Montparnasse, descarrilou o comboio expresso Paris - Granville.

Existe um referência à Primeira Guerra Mundial, a qual existiu na realidade entre os anos de 1914 - 1918 centrada na Europa, consequentemente acabou por levar à falência da empresa de George Méliès. Esta menção é feita tanto no livro como no filme.

Foi um dos pioneiros do cinema a explorar e a desenvolver técnicas de efeitos especiais no cinema. Ele experimentou truques de câmara, como sobreposições, dissoluções e truques de edição, para criar ilusões visuais que cativavam o público.

Não podemos deixar de referir a evolução técnica nos filmes de Georges Méliès, que foi significativa para a época e contribuiu para o desenvolvimentodo cinema como uma forma de arte.

Possuía cenários elaborados e figurinos extravagantes, que contribuíam para o ambiente de fantasia dos seus filmes. Ele construiu sets detalhados no seu próprio estúdio de cinema.

https://www.youtube.com/watch?v=ZNAHcMMOHE8

Experimentou técnicas de coloração manual de filmes adicionando cor às cenas, e os seus primeiros filmes eram mudos, acompanhados apenas por melodias de músicas.Iniciou com filmes apenas a preto e branco e mudos, como por exemplo o "Le Voyage Dans La Lune" ( 1902).

Foi um dos pioneiros do cinema a utilizar a técnica de Stop-Motion nos seus filmes, permitindo a animação de objetos inanimados e a criação de efeitos de transformação e movimentos impressionantes.

São valorizados aspetos, que cativam tanto os leitores quanto os espectadores do filme.

Que aspetos são valorizados na história

O livro e o filme celebram a magia do cinema, especialmente através da personagem de Georges Méliès, sendo-lhe feita uma homenagem, como um dos pioneiros do cinema, mas também reconhecem a importância dos irmãos Lumière.

• Memória e História Cinematográfica

Hugo Cabret é uma personagem solitária que encontra conforto na amizade de Isabelle.Georges Méliès é solidário com Hugo deixando-o trabalhar com ele e mais tarde deixando-o ir viver com a sua família.

• Amizade e Solidariedade

Um grande aspeto valorizado no livro e no filme é a importância da família, através da relação entre o Hugo e o Pai.

• Família

Hugo Cabret ensina-nos a lutar pelos nossos sonhos e a não desistir, pois apesar de todas as dificuldades, conseguiu concertar o autómato e com isso acabou ganhando uma nova família.

• Lutar pelos sonhos

Que aspetos são criticados na história

Hugo Cabret, após a morte do pai, vai viver com o tio que o obriga a deixar a escola.

A “Invenção de Hugo Cabret” faz uma crítica ao trabalho infantil.

• Trabalho Infantil

No entanto, Hugo também roubava peças de brinquedos da loja de Georges Méliès.

Outro dos aspetos criticados, foi o ato de roubar, que o Tio Claude incutiu em Hugo, independentemente de por vezes ser como meio de sobrevivência.

• Roubo

O Guarda da Estação surge como uma personagem mais rude e menos empática com as crianças, principalmente com Hugo.

• Falta de Empatia

Atividade

Após o visionamento do Filme “A Invenção de Hugo Cabret” ordena as seguintes imagens do Livro

Depois de leres o livro confirma as tuas respostas

Solução

Esperemos que tenham gostado!

FIm

Acima do tecto da área central de espera havia um conjunto de apartamentos secretos, que tinham sido construídos para as pessoas que, no passado, dirigiam a estação. A maioria já tinha sido abandonado há muito tempo. Apenas um estava ainda em uso. Alguns raios de sol infiltravam-se pela clarabóia suja. Hugo observou as filas e filas de frascos, cheios de peças de todos os brinquedos que nos últimos meses roubara da loja. Os frascos estavam pousados em prateleiras feitas de tábuas grossas, polidas que tinha encontrado no interior das paredes da estação. Debaixo da frágil cama repousava uma pilha de desenhos seus. Um baralho de cartas descansava em cima de um baú cheio de pó, no meio do quarto.

“Entretanto, ficou obcecado em fazer com que o autómato funcionasse. Levou o filho novamente ao museu mais algumas vezes, explicando-lhe como os mecanismos trabalhavam.” “O pai de Hugo tinha uma relojoaria, trabalhando em part-time num velho museu, onde cuidava dos relógios expostos.”

Tendo em conta o seu aspeto físico, no livro George Méliès surge também com um bigode e uma barba ao fundo do queixo, tal como no filme e conseguimos realçar grandes parecenças entre ambos.

No filme Hugo tem uma aparência semelhante ao personagem do livro. No entanto, como o filme é a cores conseguimos ver a cor dos seus olhos azuis que é destacada em várias cenas no decorrer do mesmo.

Já no livro o guarda perde um pouco o papel de cómico e parece apenas autoritário e persistente, não demonstrando grandes afetividades com ninguém.

“- Ah, sobrinho, tens sorte. A escola acabou-se para ti. Não terás tempo para isso, assim que tiveres atrás das paredes da estação. Devias agradecer-me.” “Contudo, quase nunca havia nada para comer, o tio Claude berrava-lhe, batia-lhe nos nós dos dedos quando se enganava e obrigava-o a dormir no chão. Claude ensinou Hugo a roubar…”

Os traços físicos deste personagem, quer no filme quer no livro são semelhantes, tendo em conta que em ambos usa farda e bigode.

Fisicamente este personagem aparece com óculos e, no filme tem olhos azuis. No livro este personagem não é descrito fisicamente e aparece somente numa imagem, a que apresentamos, pelo que não é possível definir grandes diferenças ou semelhanças.

No livro Hugo é representado a preto e branco onde se mostram os contrastes luminosidade/sombra. Hugo é jovem e tem cabelo semelhante ao da personagem do filme.

“O rapaz esfregou os olhos e pegou no seu balde de ferramentas. Atulhou os bolsos com mais alguns fósforos e velas e foi trabalhar” “Tentava não roubar coisas que achava que as pessoas precisavam. Furtava a roupa dos perdidos e achados e passava o lixo a pente fino em busca de pão da véspera.”

Também se lembrava que, às vezes, à noite, o seu pai lhe lia histórias fantásticas de aventuras escritas por Júlio Verne e uma coleção de contos de fadas de Hans Christian Andersen, que eram as suas favoritas. Tinha saudades das leituras.

Solução:1, 3, 5, 2, 6, 4Conseguiste?

“- O Étienne trabalha no cinema perto de minha casa. Deixa-me entrar às escondidas, porque o Papá Georges não permite que eu veja filmes.”

No filme este personagem representa um papel caricata que, apesar de tentar sempre manter a ordem, acabam por acontecer sempre acidentes cómicos. Para além deste aspeto, no filme o guarda surge ainda acompanhado por um cão e demonstra o seu lado mais sentimental quando está perto da florista.