Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

O Desenvolvimento Humano

Ver esquema página 55

O Desenvolvimento Humano

Conjunto de transformações por que o indivíduo passa, desde a fecundação até à morte. É um processo que ocorre a nível físico e psicológico, sendo fisiológico, cognitivo, moral, psicossexual, psicossocial, entre outros.

Desenvolvimento

Processo biológico através do qual cada órgão atinge a capacidade plena para desempenhar a sua função.

Maturação

Aspetos físicos do desenvolvimento, nomeadamente o aumento das dimensões do corpo, como a estatura e o peso. Crescer é apenas uma parte do desenvolvimento.

Crescimento

Ver as imagens do manual

Imagens e Esquema

Enquanto o crescimento se relaciona com a dimensão de cada órgão, a maturação associa-se à capacidade dos órgãos desempenharem a sua função.

Crescimento e Maturação

Enquanto o crescimento se relaciona com a dimensão de cada órgão, a maturação associa-se à capacidade dos órgãos desempenharem a sua função.

Crescimento e Maturação

Ver as imagens e a tabela- páginas 60 e 61

Crescimento e Maturação

Página 62

Atividade

O desenvolvimento do ser humano depende dos genes que herda dos seus antepassados ou das influências do ambiente?Já nasce com o destino traçado ou é resultado do ambiente que o rodeia?

Inato e Adquirido

Corresponde a tudo aquilo que se herda dos progenitores (hereditariedade) no momento da conceção; é a natureza da pessoa.

Inato

Consiste em tudo o que se incorpora ao longo da vida, nas trocas que se realizam com o meio físico e com a cultura dos nossos grupos sociais. Esta incorporação começa no meio intrauterino.

Adquirido

Perguntas página 62

O desenvolvimento pensado como uma realidade dinâmica, que ocorre num processo longo (por todo o ciclo de vida), complexo (que integra múltiplos fatores, nomeadamente fisiológicos, afetivos, intelectuais, culturais, entre outros) e dependente de fatores genéticos e ambientais, designa-se por life-span.

Etapas do Desenvolvimento

Freud procurou o significado mais profundo das perturbações psicológicas. Para ele, seria impossível compreender as perturbações mentais admitindo apenas a existência do consciente. É no inconsciente que se encontra a explicação para muitas das nossas inquietações, perturbações, ou medos.

Desenvolvimento Psicossexual

O inconsciente é a parte dominadora da personalidade e nele “habitam” forças que impelem à ação. São desejos e impulsos – pulsões de vida e de morte – inatos. Muitas destas forças inconscientes são de natureza sexual.

Desenvolvimento Psicossexual

A energia inata (pulsões) age sobre o comportamento, quer seja através de ações quer seja reprimida, gerando, neste caso, pressão recalcada, que, acumulando-se, acaba por emergir em comportamentos perturbados, ou seja, doenças nervosas.

Desenvolvimento Psicossexual

O desenvolvimento humano resulta, assim, de um “combate” entre impulsos inatos e aquilo que a sociedade aceita e espera do indivíduo.

Desenvolvimento Psicossexual

As normas sociais e morais, interiorizadas através da educação, delimitam o que é ou não realizável, cabendo a cada um conciliar os ímpetos inconscientes com o que é socialmente aceite.

Desenvolvimento Psicossexual

Freud apresenta uma descrição do inconsciente dividida em três partes: Id, Ego e Superego. É na relação dinâmica entre o Id, o Ego e o Superego que se desenvolve a personalidade do indivíduo.

O Papel do Inconsciente

Imagem página87

O Papel do Inconsciente

Estrutura inata. Zona totalmente inconsciente, instintiva, primitiva (inclui desejos, pulsões, impulsos sexuais. entre outros). Rege-se pelo princípio do prazer (pretende realizar tudo o que lhe agrada)

Id

Parcialmente consciente e inconsciente noutra parte. Assume um compromisso entre o desejo de satisfação imediata das pulsões do Id e as proibições do Superego (mediador entre o inconsciente e as exigências do meio).

Ego

Rege-se pelo princípio da realidade – decide que instintos podem ser satisfeitos e de que modo. Começa a desenvolver-se por volta dos 6 meses de idade.

Ego

Interiorização das normas sociais. Maioritariamente inconsciente, tem também uma pequena parte consciente. Rege-se pelo princípio do dever/da moralidade – diz-nos o que devemos ou não fazer, de acordo com as regras sociais.

Superego

Começa a desenvolver-se entre os 3 e os 5 anos (estando totalmente formado por volta dos 6 anos). Resulta da educação que recebemos.

Superego