Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

A Inaudita guerra da Avenida Gago Coutinho

Começar

Índice

1 - Biografia do autor

1 - Bibliografia do Autor

1 - Resumo

2 - Partes do Conto

2 - Grupo das Personagens

2 - Sequências narrativas

2 - Classificação do Narrador

3 - E se? (Narrativo)

3 - E se? (Argumentativo)

Créditos

1a

Parte

Informações

Biografia

A inaudita guerra da avenida gago coutinho Mário Coutinho :. Nasceu em Lisboa dia 25 de setembro de 1944• É romancista, contista, dramaturgo e argumentista Português.• Estudou no Liceu Camões• Licenciou-se em direito em 1969• É pai das escritoras Rita Taborda Duarte e Ana Margarida de Carvalho.. Em 1971, devido à resistência clandestina antifascista foi preso pela polícia política durante a instrução militar. Submetido a onze dias de privação do sono acabou por cumprir catorze meses de prisão nas cadeias políticas de Caxias e Peniche.. Foi professor convidado daEscola Superior de Teatro e Cinema e daEscola Superior de Comunicação Social durante vários anos.Orientoupós-graduações em escrita de teatro na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e várias oficinas de escrita de ficção.

Bibliografia

O texto relata o desenrolar de um caótico incidente envolvendo tropas árabes lideradas por Ibn-el-Muftar, a polícia de intervenção e outros personagens na Avenida Gago Coutinho. A situação leva a confrontos, mal-entendidos e uma mistura de eventos históricos e contemporâneos. No final, a intervenção de uma musa, Clio, desfaz a confusão, apagando as memórias dos envolvidos e encerrando o episódio de forma inusitada.

Resumo

2a

Parte

Narrativa

Presença:Heterodiegético pois está fora da história e narra na 3 pessoa Posição:Objetivo releva apenas os factos da história sem mostrar lado emocional

Narrador

  1. Chegada de Ibn-el-Muftar e a sua tropa
  2. O tenso duelo entre a tropa e os automobilistas
  3. Intervenção da polícia de intervenção
  4. Capitao Aurélio Soares avalia a situação
  5. Capitão encontra Ibn-el-Muftar
  6. Desaparecimento dos árabes
  7. Consequencias e razões deste confronto
  8. Consequencias jurídicas
  9. Deusa Clio é castigada

Sequências da Narrativa

Principais

  • Clio
  • Ibn-el-Muftar
  • Comissário Nunes
  • Capitão Aurélio Soares
Secundários
  • Homero
  • Horácio
  • Manuel Tobias
Figurantes
  • Automobilistas
  • Pelotões de Intervenção da Polícia
  • Tropa do Ralis

Personagens

  • Introdução - l. 1 a 9
  • Desenvolvimento - l. 10 a 91
  • Desenlace - l. 92 a 100
  • Introdução - l. 1 a 10
  • Desenvolvimento - l. 11 a 86
  • Desenlace - l. 86 a 95

2ª Parte

1ª Parte

Narrativa

3a

Parte

E Se?

Numa ensolarada manhã de domingo em Sintra, um episódio estranho abalou a atmosfera pacata da região. Um grupo de jovens do século XXI, motivados por uma curiosidade nunca antes vista, decidiram desafiar as convenções e conquistar o emblemático e histórico Castelo dos Mouros. Vestidos com vestes contemporâneas, os jovens avançaram pelas antigas muralhas da fortaleza, munidos de uma grande variedade de armas. Enquanto isso, turistas e moradores locais observavam, perplexos, o desenrolar dessa cena peculiar que nunca se tinha visto. Os guardas do castelo, inicialmente incrédulos diante da ousadia dos invasores, logo se organizaram e enfrentaram a investida com determinação. Uma mistura improvável de estratégias antigas marcou o confronto entre os dois grupos. Apesar da coragem e do empenho dos jovens, a invasão não alcançou êxito. Contudo, esse episódio peculiar deixou uma marca negativa na história local, deixando marcas graves na sociedade.

E se? (Narrativo)

Se a “Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho” fosse real, as consequências para os grupos envolvidos seriam catastróficas. Em primeiro lugar, ambos os lados perderiam tempo a lutar numa batalha insignificante, negligenciando questões mais importantes que poderiam ser resolvidas de maneira mais inteligente e pacífica. Além disso, a comunidade local seria afetada pelo caos e pela violência desnecessária, deixando os moradores assustados. As autoridades teriam que intervir para controlar a situação, desperdiçando tempo que poderia ser dedicado a problemas genuinamente relevantes. A reputação dos grupos envolvidos também seria prejudicada, sendo vistos negativamente e possivelmente punidos pela sociedade devido à falta de bom senso. A história da absurda guerra na Avenida Gago Coutinho tornaria-se uma trágica piada e traria graves consequências para todos. No final das contas, todos sairiam a perder nessa guerra fictícia, aprendendo uma valiosa lição sobre a importância do diálogo, da tolerância e da resolução pacífica de conflitos. A “Inaudita Guerra” serviria como um lembrete de como pequenas disputas podem facilmente sair do controlo e causar danos irreparáveis a todas as partes envolvidas

E se? (Argumentativo)

António F. (Ton Filipinos)António M. (Gajo do Baixo)Martim P. (Paalins)Manuel H. (Manels)Rodrigo S. (Xipokinha)

Obrigado Pela Atenção!