Want to make creations as awesome as this one?

Transcript

Clandestinidade

A Luta Contra o Estado Novo

Formas de luta contra os regimes totalitarios

Como funcionam os regimes totalitários?

Quais são as formas de luta contra os regimes autocráticos e totalitários?

Porque surge num país um regime autocrático e repressivo?

A maioria dos regimes totalitários chega ao poder através de eleições, mesmo que não sejam verdadeiramente democráticas e transparentes.

A Clandestinidade na luta contra o Estado Novo

PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado): A PIDE era a polícia política do Estado Novo e desempenhava um papel crucial na repressão de qualquer forma de oposição. Utilizava métodos de espionagem, interrogatórios, prisões arbitrárias e tortura para silenciar dissidentes.

Leis de Censura: O regime estabeleceu leis que concediam amplos poderes ao Estado para censurar e controlar a produção e disseminação de informações. Qualquer forma de expressão, como livros, jornais, filmes, peças teatrais e discursos públicos, estava sujeita à aprovação do Estado.

Lápis Azul - Método de Censura utilizado pelo Estado Novo.

O papel das mulheres na luta clandestina

A Clandestinidade : Pós 25 de Abril

A sociedade civil continua a desempenhar um papel ativo na defesa dos direitos humanos e na promoção da justiça social. Movimentos ativistas, organizações não-governamentais e cidadãos engajados buscam enfrentar os desafios modernos, inspirando-se no espírito de resistência que caracterizou as oposições clandestinas durante o Estado Novo. No entanto, a atualidade em Portugal também enfrenta desafios políticos e sociais. As questões relacionadas com a corrupção, a desigualdade social e as ameaças à liberdade de expressão destacam-se como desafios contemporâneos. Nesse contexto, alguns grupos e movimentos podem ser vistos como herdeiros espirituais das oposições clandestinas do passado, lutando por uma sociedade mais transparente e equitativa.

O homem à esquerda também conhecido por General Salgueiro Maia foi uma figura central na Revolução dos Cravos. Ele destacou-se pelo seu caráter firme, lealdade à causa democrática e papel crucial na transição pacífica do país de um regime autoritário para a democracia. Maia era conhecido por sua ética militar, compromisso com os princípios democráticos e pelo comando decisivo que desempenhou nas operações durante a revolução. A sua liderança e postura ajudaram a assegurar a estabilidade durante um período crítico da história portuguesa, contribuindo significativamente para o sucesso da Revolução dos Cravos e para o estabelecimento de um regime democrático em Portugal.

Conclusão

A necessidade de consciencialização política na geração mais jovem portuguesa é um imperativo crucial para o desenvolvimento sustentável da sociedade. Em um mundo cada vez mais interconectado e complexo, os jovens desempenham um papel fundamental na construção do futuro de Portugal. No entanto, para que essa contribuição seja significativa e positiva, é essencial que a juventude esteja consciente dos desafios políticos e sociais que o país enfrentou.

Trabalho realizado por: António Lopes Qianxun Lu Luana Marques

  • Comunicação Codificada
  • Identidades Falsas
  • Reuniões Secretas
  • Redes de Confiança
  • Propaganda Subversiva
  • Descentralização
  • Operações Noturnas ou Locais Remotos

No combate ao Estado Novo

Tecnicas Clandestinas

O que é a clandestinidade?

A clandestinidade no Estado Novo referia-se às atividades políticas, culturais e sociais realizadas de maneira oculta, muitas vezes de forma ilegal, por grupos e indivíduos contrários às políticas e práticas do regime. A repressão política e a censura eram características marcantes desse período, o que levou muitos opositores a agir nas sombras para evitar perseguições e detenções.

  • Oposição à Ditadura do Estado Novo: Durante o regime, o PCP foi uma das principais forças de oposição. Atuando de forma clandestina devido à repressão, o partido desempenhou um papel fundamental na resistência antifascista.
  • Participação em Movimentos de Trabalhadores e Sindicatos: O PCP esteve envolvido na organização de movimentos sindicais e de trabalhadores.

Pré 25 de Abril

Papéis Fundamentais do PCP

  • Participação Ativa na Revolução dos Cravos: O PCP foi um dos partidos que desempenhou um papel crucial na Revolução.
  • Participação no Processo Revolucionário: Após o 25 de abril, o PCP foi um dos partidos mais influentes no processo revolucionário português.
  • Participação na Construção Democrática: O PCP esteve envolvido na elaboração da Constituição de 1976 e na formação de governos durante os primeiros anos após a revolução.

Pós 25 de Abril

Papéis Fundamentais do PCP

Lorem ipsum dolor sit

As mulheres tiveram um papel crucial na luta clandestina. Elas desempenharam diversas atividades de resistência e sabotagem, sendo fundamentais na troca de informaações e na construção de redes de comnicação seguras. Além disso, forneceram apoio e solidariedade aos combatentes da resistência, desafiaram as estruturas patriarcais assumindo cargos de liderança e contribuiram com ideias inovadoras para a luta contra o regime opressor. O seu legado de coragem, determinação e contribuições significativas foi fundamental para a conquista da liberdade e igualdade, inspirando e empoderando outras mulheres a lutar por justiça e igualdade e Portugal.

O "Avante!" é um jornal português associado ao Partido Comunista Português (PCP). Durante o Estado Novo em Portugal, que foi um regime autoritário liderado por António de Oliveira Salazar, o "Avante!" desempenhou um papel significativo como veículo de oposição ao regime.

Jornal Avante

  • A censura e a repressão do Estado Novo muitas vezes levavam à proibição de artigos, edições ou mesmo da própria circulação do "Avante!". No entanto, a persistência do jornal e de outros meios de oposição contribuiu para a resistência gradual ao regime.

O PCP teve um papel essencial na oposição à ditadura antes do 25 de abril e desempenhou um papel ativo nos primeiros anos do período pós-revolucionário, contribuindo para a transição de Portugal para um sistema democrático.

A Continuação do PCP

  • Nenhum regime totalitário pode funcionar sem ter as suas instituições repressivas.
  • A verdadeira liberdade de expressão e de escolha é impedida, levando as pessoas a acreditar na existência de um acordo total.
  • Aqueles que discordam ou se opõem ao regime em vigor são geralmente presos, torturados e muitas vezes até eliminados fisicamente.
  • Para sobreviver ao controlo e à repressão do Estado, os dissidentes têm de se exilar ou passar à clandestinidade, resistem de forma oculta mas persistente.

  • Protestos e manifestações
  • Revoluções e golpes de estado
  • Espionagem e operações de sabotagem
  • Ciberataques
  • Clandestinidade

Algumas formas de luta contra os regimes autocráticos e totalitários:

De um modo geral, todas as formas de resistência implicam um certo grau de clandestinidade e secretismo.