Want to make creations as awesome as this one?

More creations to inspire you

FIRE FIGHTER

Horizontal infographics

STEVE JOBS

Horizontal infographics

ONE MINUTE ON THE INTERNET

Horizontal infographics

SITTING BULL

Horizontal infographics

BEYONCÉ

Horizontal infographics

Transcript

1

2

3

4

5

Read more

Read more

Recomendações políticas

An Erasmus+ Project [2020-1-PT01-KA204-078631]

SAFE SPACES FOR LEARNING

A nível transnacional

Read more

Read more

Aumentar a cooperação e a aprendizagem entre a prática política e a investigação

Read more

Desenvolver uma estrutura política abrangente que se concentre na criação de espaços seguros

Estudar em profundidade as mudanças sociais e comunicativas

Fornecer apoio financeiro e educacional

Criar espaços seguros para os cidadãos expressarem as suas opiniões e solicitações

Financiado pela União Europeia. Os pontos de vista e as opiniões expressas são as do(s) autor(es) e não refletem necessariamente a posição da União Europeia ou da Agência de Execução Europeia da Educação e da Cultura (EACEA). Nem a União Europeia nem a EACEA podem ser tidos como responsáveis por essas opiniões.

Decisores políticos devem reconhecer a importância de apoiar a criação de espaços seguros onde os adultos possam expressar livremente as suas opiniões e necessidades. Esses espaços devem promover um ambiente inclusivo, garantindo que todas as vozes sejam ouvidas, independentemente do contexto social, cultural ou económico. Quando os decisores políticos se envolvem ativamente com as perspetivas e experiências dos cidadãos, podem obter informações valiosas sobre os desafios enfrentados pelos adultos e elaborar estratégias eficazes para os enfrentar. Esses espaços seguros devem incentivar o diálogo construtivo, capacitando os adultos a participar ativamente na formulação de políticas que impactam diretamente nas suas dinâmicas de aprendizagem.

Os decisores políticos da UE devem alocar recursos financeiros e oferecer apoio educacional a organizações de educação de adultos para promover a compreensão, a criação e a manutenção de espaços seguros. Espaços seguros são ambientes essenciais que incentivam a inclusão, o respeito e a livre troca de ideias sem medo de discriminação ou dano. Ao fornecer apoio financeiro, os decisores políticos podem garantir que as organizações de educação de adultos tenham os recursos necessários para implementar e manter espaços seguros. Isso pode envolver investimentos em infraestrutura, tecnologia e formação de pessoal para criar espaços físicos e virtuais que priorizem a segurança e promovam experiências de aprendizagem aberta. Além disso, o apoio educacional pode desempenhar um papel crucial ao equipar as organizações de educação de adultos com conhecimento e competências para abordar questões relacionadas com a diversidade, a equidade e a inclusão, de forma eficaz. Ao promover espaços seguros, os decisores políticos podem contribuir para o crescimento pessoal e profissional dos formandos adultos, ao mesmo tempo que promovem uma cultura de respeito e compreensão na União Europeia.

Para promover a tomada de decisão baseada em evidências, os decisores políticos precisam estabelecer uma cooperação mais forte e canais de aprendizagem entre a prática política e a pesquisa em educação de adultos. Ao promover colaboração entre profissionais e investigadores, os decisores politicos podem preencher a lacuna entre a teoria e a prática, garantindo que as políticas sejam fundamentadas em evidências empíricas e reflitam as necessidades dos aprendentes adultos. Essa colaboração pode facilitar a troca de conhecimento, promover as boas práticas e permitir a melhoria contínua das políticas de educação de adultos. Além disso, os decisores políticos devem incentivar o envolvimento dos próprios aprendentes adultos em iniciativas de pesquisa, reconhecendo-os como contribuintes ativos e cocriadores de conhecimento.

Uma estrutura política abrangente deve delinear os princípios, metas e estratégias para a criação de espaços seguros em ambientes educacionais, bem como os papéis e as responsabilidades de todas as partes interessadas relevantes; professores/formadores, administradores/gestores, entidades empregadoras e líderes comunitários.

Reconhecer como as novas influências digitais nos processos cognitivos e identitários influenciam a perceção do espaço, entendido como um lugar onde se experienciam relações e se adquirem e implementam conhecimentos. Os decisores políticos devem continuar a esforçar-se para atualizar o conhecimento teórico e estudo experimental sobre este tema para poder transferi-lo para a programação.

Read more

Read more

Read more

1

2

3

Read more

Recomendações Políticas

An Erasmus+ Project [2020-1-PT01-KA204-078631]

SAFE SPACES FOR LEARNING

A nível nacional

Incluir Espaços Seguros, Privilégios e Lutas no Discurso Público

Abordar as partes interessadas de forma consistente

4

Reconhecer o trabalho e o significado da Educação de Adultos

Facilitar pedidos de financiamento para Iniciativas promovidas pelas ExOs

Financiado pela União Europeia. Os pontos de vista e as opiniões expressas são as do(s) autor(es) e não refletem necessariamente a posição da União Europeia ou da Agência de Execução Europeia da Educação e da Cultura (EACEA). Nem a União Europeia nem a EACEA podem ser tidos como responsáveis por essas opiniões.

Os decisores políticos devem promover ativamente o discurso público que encerra discussões sobre espaços seguros, privilégios e lutas no contexto da educação de adultos. Ao aumentar a conscientização e promover o diálogo sobre esses tópicos, os decisores políticos podem facilitar o desenvolvimento de uma sociedade mais inclusiva e empática. Espaços seguros devem ser estabelecidos não apenas para grupos marginalizados, mas também para indivíduos que possam ter privilégios, permitindo conversas construtivas que promovam a compreensão e o desconstrução de barreiras à aprendizagem. Essas discussões devem abordar os desafios enfrentados pelos aprendentes adultos, incluindo disparidades socioeconómicas, discriminação e barreiras sistémicas. Ao amplificar diversas vozes e perspetivas, os decisores políticos podem garantir que as políticas de educação de adultos sejam adequadas às necessidades e experiências únicas de todos os indivíduos.

Os decisores políticos devem reconhecer e apreciar o valor intrínseco e o impacto da educação de adultos na sociedade. A educação de adultos vai além da mera aquisição de competências; é um processo transformador que capacita os indivíduos, aumenta a participação cívica e contribui para o desenvolvimento social. Os decisores políticos devem reconhecer ativamente o trabalho dos educadores de adultos e o papel essencial que eles desempenham na facilitação da aprendizagem ao longo da vida. Esse reconhecimento envolve o provimento de recursos apropriados, oportunidades de desenvolvimento profissional e sistemas de apoio para educadores de adultos. Além disso, os decisores políticos devem colaborar ativamente com as instituições e os profissionais de educação de adultos para garantir que os seus conhecimentos são incluídos na formulação de políticas. Ao valorizar e reconhecer a educação de adultos como um componente vital de uma sociedade próspera, os decisores políticos podem inspirar os indivíduos a envolverem-se na aprendizagem ao longo da vida e criar políticas que promovam o seu crescimento e a sua acessibilidade.

Os decisores políticos, especialmente aqueles que se concentram em tópicos relevantes, têm os recursos para alcançar os provedores educacionais e abordá-los diretamente para fazer parte da implementação de políticas relevantes. Os decisores políticos precisam abordar todas as organizações relevantes para a temática de espaços seguros e não concentrar os seus esforços em organizações com base na sua relevância política para o governo em funções no momento da chamada, ou optar por incluir apenas organizações de grande escala ou escala nacional, mas devem procurar também incluir as vozes de profissionais de todos os contextos (local e regional).

Os decisores políticos devem reconhecer o potencial das iniciativas institucionais promovidas pelas organizações exponenciais como um recurso valioso para a aprendizagem de adultos. Essas iniciativas, que operam fora das instituições educacionais tradicionais, muitas vezes oferecem abordagens inovadoras e oportunidades flexíveis de aprendizagem. Ao facilitar os pedidos de financiamento para tais iniciativas, os decisores políticos podem apoiar o crescimento de diversos ambientes de aprendizagem que atendam às necessidades e interesses específicos dos formandos adultos. Essa abordagem não apenas promove a diversidade educacional, mas também incentiva a exploração de caminhos de aprendizagem não tradicionais, aumentando a eficácia e a inclusão da educação de adultos.

1

2

3

4

5

6

Read more

Read more

Read more

Read more

Read more

Read more

Financiado pela União Europeia. Os pontos de vista e as opiniões expressas são as do(s) autor(es) e não refletem necessariamente a posição da União Europeia ou da Agência de Execução Europeia da Educação e da Cultura (EACEA). Nem a União Europeia nem a EACEA podem ser tidos como responsáveis por essas opiniões.

Recomendações políticas

An Erasmus+ Project [2020-1-PT01-KA204-078631]

SAFE SPACES FOR LEARNING

A nível local

Reconhecer a importância de criar e manter espaços seguros

Fornecer apoio financeiro e estrutural

Eliminar Barreiras na Criação de Públicos

Fornecer formação e apoio para colaboradores e gestores

Desenvolver um contrato/ uma política/ um código de conduta de espaço seguro

Entender a premissa política e social de espaços seguros

Entidades e organizações locais devem ser educadas e reconhecer a importância crítica de criar e manter espaços seguros para aprendentes adultos. Esses espaços devem ser livres de julgamento, discriminação e exclusão, permitindo que os indivíduos se expressem de forma aberta e autêntica. Os decisores políticos e as organizações devem priorizar a promoção de um ambiente inclusivo e respeitoso, onde diversas vozes e perspetivas são bem-vindas. Ao promover espaços seguros, os aprendentes adultos são convidados a participar em discussões significativas, partilhar as suas experiências e a serem os autores da sua dinâmica de aprendizagem.

Os decisores políticos e as organizações devem alocar recursos financeiros e estruturais adequados para apoiar as iniciativas em educação de adultos. O apoio financeiro pode ajudar a garantir a acessibilidade aos programas de educação de adultos, incluindo bolsas de estudo e subsídios. Além disso, as organizações devem investir na criação de espaços físicos e infraestruturas adequados que atendam às diversas necessidades dos formandos adultos. Isso inclui instalações acessíveis a pessoas com deficiência, opções de horários flexíveis e recursos tecnológicos para apoiar diferentes modalidades de aprendizagem. Ao fornecer os recursos necessários, os decisores políticos e as organizações demonstram o seu compromisso em capacitar aprendentes adultos e remover barreiras financeiras e estruturais para as suas atividades educacionais.

As entidades e organizações locais devem trabalhar ativamente para eliminar as barreiras que impedem a criação de públicos para aprendentes adultos. As barreiras podem incluir normas sociais, preconceitos culturais e práticas de exclusão que impedem que certos indivíduos ou grupos participem plenamente de discussões públicas e oportunidades de aprendizagem. Os decisores políticos e as organizações devem promover a inclusão, a diversidade e a equidade, envolvendo ativamente as comunidades marginalizadas, abordando as barreiras linguísticas e culturais e promovendo um sentimento de pertença para todos. Ao criar um ambiente onde todos os indivíduos se sintam bem-vindos e valorizados, os decisores políticos e as organizações podem promover a criação de públicos que promovam experiências de aprendizagem ricas e diversificadas.

É importante garantir que a equipa de trabalho e a direção tenham as competências e os conhecimentos necessários para manter a política de espaço seguro. As organizações devem fornecer formação e apoio a funcionários e gestores para os ajudar a entender como criar e manter espaços seguros. Essa formação deve abranger temas como comunicação, resolução de conflitos, diversidade e inclusão e competência cultural.

As organizações devem desenvolver uma política abrangente que descreva os princípios, as metas e as estratégias para criar e manter espaços seguros. As funções e responsabilidades de cada parte interessada na manutenção do espaço seguro devem ser claramente mencionadas na política, bem como todos os mecanismos de denúncia que podem ser usados em caso de violação da política. A política de espaço seguro deve ser comunicada claramente a todos os formandos, funcionários e à gerência, através de sessões de orientação, programas de formação ou reuniões de equipa. É importante garantir que todos entendam o que significam espaços seguros, porque são importantes e que comportamentos são esperados.

Reconhecer como a nossa sociedade pode ser forjada por todos nós quando todos recebemos ou reivindicamos o espaço para o fazer. Organizações, comunidades e governação local/regional precisam ver e começar a trabalhar com base em discussões abertas sobre privilégio e luta na aprendizagem e educação de adultos e, essencialmente, a sociedade em geral, através de espaços seguros.

Reconhecer elementos de conflito, incluindo privilégio e luta

Incentivar processos democráticos diretos

Apoiar a independência dos processos de aprendizagem

Comunicar e promover o conceito de espaços seguros.

Criar e apoiar a existência de espaços abertos e públicos

An Erasmus+ Project [2020-1-PT01-KA204-078631]

SAFE SPACES FOR LEARNING

Instruções e imperativos sociais para os espaços seguros

Financiado pela União Europeia. Os pontos de vista e as opiniões expressas são as do(s) autor(es) e não refletem necessariamente a posição da União Europeia ou da Agência de Execução Europeia da Educação e da Cultura (EACEA). Nem a União Europeia nem a EACEA podem ser tidos como responsáveis por essas opiniões.

Dar espaço a processos de aprendizagem criados fora das instituições

In our quest for social justice, we must confront the uncomfortable truths of privilege and struggle. By acknowledging and addressing these elements of conflict, we can strive for a more equitable society. It is crucial to recognize and dismantle systems that perpetuate privilege, while also supporting and amplifying the voices of those who face various forms of struggle. It is our opinion that there should be an offer of sensitization workshops for providers which would on the one hand include topics of why safe spaces are necessary and on the other include people for whom safe spaces are vital. These workshops should be offered on a national as well as on a regional level.

Safe spaces are fundamental to building inclusive communities. We must communicate and promote the concept of safe spaces, where individuals feel respected, heard, and supported. These spaces provide solace, encouragement, and freedom from discrimination or judgment. Let's strive to create environments where marginalized voices can be uplifted, where people can engage in open and honest dialogue, and where empathy and understanding flourish. Together, we can build safe spaces that nurture personal growth, foster solidarity, and drive positive social change. We believe that there is a need for greater disclosure and dissemination of the theme at hand, so as people may acknowledge the concept of what safe learning spaces are and their importance in adult development and citizenship roles.

Learning is not confined to traditional institutions alone. We must create space and value learning processes that emerge outside these structures. Alternative educational platforms, community workshops, and grassroots initiatives hold immense potential for fostering knowledge, creativity, and innovation. Let's embrace these unconventional learning pathways, supporting and celebrating the diverse ways in which individuals acquire knowledge and skills outside of mainstream institutions.

Creating and supporting open and public spaces is crucial for the well-being and vitality of communities. These spaces serve as important gathering points, fostering social interactions and building a sense of community among residents. Additionally, they provide opportunities for physical activity, recreation, and relaxation, promoting better health and overall well-being. By prioritizing the development and maintenance of open and public spaces, societies can enhance the quality of life for their citizens, encourage social cohesion, and create vibrant and inclusive environments for everyone to enjoy.

We need to embrace the power of direct democracy. By encouraging and practicing direct democratic processes, we are empower as learning communities to actively engage in shaping the decisions that impact our lives. Together, we can break down the barriers of representation and create a society where the voices of all citizens are heard, valued, and respected. Direct democracy essentially engages us in a process of movement to revitalize democracy and build a future where the power truly lies in the hands of the people, not only in our learning settings but in society at large.

Education is the key to personal and societal growth. We must support and promote the independence of learning processes to nurture intellectual curiosity, critical thinking, and creativity. Let's challenge the traditional education system and recognize alternative paths of knowledge acquisition, such as self-directed learning, vocational training, and community-driven initiatives. By embracing diverse approaches to learning, we can unleash the full potential of individuals and foster a society that values lifelong education.