Want to make creations as awesome as this one?

More creations to inspire you

BEYONCÉ

Horizontal infographics

ALEX MORGAN

Horizontal infographics

OSCAR WILDE

Horizontal infographics

GOOGLE - SEARCH TIPS

Horizontal infographics

NORMANDY 1944

Horizontal infographics

Transcript

COMUNICAR COM VITIMAS DE VIOLÊNCIA E MAUS-TRATOS

1

Contactar

+

Lorem ipsum dolor

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Duis iaculis sit amet lectus nec accumsan. Suspendisse vel ex ut turpis gravida dictum et non nunc. Quisque consectetur at arcu et rutrum. Vivamus viverra lorem at nisl hendrerit.


3

Questões abertas

Com sua equipa

4

Questões fechadas

inf

Lorem ipsum dolor

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Duis iaculis sit amet lectus nec accumsan. Suspendisse vel ex ut turpis gravida dictum et non nunc. Quisque consectetur at arcu et rutrum. Vivamus viverra lorem at nisl hendrerit.


2

Boas práticas na estrevista

CONVERSAR

Conversar com a criança ou jovem, se NECESSÁRIO, e apenas nos casos em que o alerta para uma possível situação de VD não tenha decorrido da revelação espontânea da criança ou jovem junto de um/a profissional.

Cada estágio do desenvolvimento de uma criança ou jovem tem os seus próprios desafios, importando saber adequar a atitude por forma a ganhar a sua CONFIANÇA e transmitir-lhe que quem a escuta quer ajudá-la.

No processo de recolha e avaliação da informação, a DECISÃO sobre a necessidade da conversa com a criança ou jovem, bem como os termos em que a mesma é realizada.

Boas práticas na entrevista

Maturidade;

Capacidade de entedimento;

Estado emocional.


Questões abertas

Queres partilhar comigo o que se passou?


Questões fechadas

Em que local estavas quando isso aconteceu?

Tens medo de alguma coisa ou de alguém?

O que é que te preocupa?

Como correm “as coisas” em casa?


Feito por:Catarina Tavares,Cátia Araújo,nº18,nº5.

Turma:1ºAS6


https://www.cig.gov.pt/wp-content/uploads/2021/06/Guia-de-Intervencao-integrada-junto-de-criancas-ou-jovens-vitimas-de-violencia-domestica.pdf