Want to make creations as awesome as this one?

No description

More creations to inspire you

Transcript

Tendências de Tecnologia Aberta

Observatório de e-Jobs

Tendências de Tecnologia Aberta

Ler >

Potenciais Utilizadores

Ler >

A Tecnologia está a Evoluir

Ler >

Resultados

Ler >

Projetos de Pesquisa

Ler >

Indústria 4.0

Ler >

Tendências de Transformação digital

Ler >

Novas Profissões Digitais

Ler >

Tendências do Mercado de Trabalho

Ler >

Empregos Digitais Atuais e Futuros

Ler >

Tendências de Tecnologia Aberta

Índice

Tendências de Tecnologia Aberta:

Será concebido principalmente para providenciar evidências sobre o uso da tecnologia para melhorar o ensino e a aprendizagem e contribuir para a Transformação Digital para os responsáveis pelas tomadas de decisão e profissionais a nível nacional, regional ou local por toda a Europa, tendo como alvo os seguintes potenciais utilizadores:

Jovens a entrar no mercado de trabalho

Michaela Buben

Formadores de escolas, universidades e negócios de formação profissional e educação de adultos

Adrian Tavalas

Jovens com menos oportunidades

Eduardo Galán

Potenciais Utilizadores:

Os nomes são fictícios. Qualquer semelhança é completamente coincidente

Estudantes de escolas e universidades de formação profissional e educação para adultos

Joao Alvés

A tecnologia está em constante evolução.

O Open Tech Trends (Tendências de tecnologia aberta) é concebido como um observatório online que pretende dar destaque às evidências na área da inovação na educação, e às profissões digitais relacionadas com o setor digital, especialmente em:

RESULTADOS

Indústria 4.0

Indústria 4.0

Novas Profissões Digitais

Tendências de Mercado de Trabalho

Tendências de Transformação Digital

Empregos Digitais Atuais e do Futuro

01

02

03

04

05

Trndências de Transformação Digital

Novas Profissões Digitais

Tendências do Mercado de Trabalho

Empregos Digitais Atuais e do Futuro

01

02

03

04

05

Indústria 4.0

Melhorar o ensino e a aprendizagem e contribuir para a Transformação Digital para os responsáveis pelas tomadas de decisão.

Novas Profissões Digitais

Entre outros tópicos digitais relevantes e emergentes.

Tendências de Transformação Digital

Tendências do mercado de trabalho para a contratação

Dentro do setor digital

Projetos de Pesquisa:

Empregos Digitais Atuais e Futuros

Capacitar o futuro empreendedorismo de estudantes e adultos.

Indústria 4.0:

A Quarta Revolução Industrial (ou Indústria 4.0) é a automatização contínua das práticas tradicionais industriais e de manufactura, utilizando tecnologia moderna e smart. A comunicação em grande escala máquina-para-máquina (M2M) e a Internet das coisas (IoT) estão integradas para uma maior automatização, melhor comunicação e auto-monitorização, e produção de máquinas inteligentes que conseguem analisar e diagnosticar problemas sem a necessidade de intervenção humana.

Fontes: Wikipedia

Indústria 4.0:

As razões pelas quais a indústria 4.0 é importante são os benefícios. Esta auxilia os fabricantes com os desafios atuais, ao tornar-se mais flexível e ao reagir mais facilmente às mudanças do mercado. Pode aumentar a velocidade da inovação e é muito centrada no consumidor, originando processos de design mais rápidos.

Fontes: MachineMetrics

International Journal of Engineering and Advanced Technology (IJEAT)

Este relatório resumiu a evolução e as exigências do sistema educativo, juntamente com a quarta revolução industrial 4.0. A digitalização, a inteligência artificial e a computação portátil permitiram novos cenários de aprendizagem, transformando a educação tradicional num novo modelo que os professores têm de adaptar e inovar para fazer face às expectativas das novas gerações. A quarta revolução industrial (IR 4.0) provocou um estado de mudança na educação. O IR 4.0 é disciplinado pela inteligência artificial e pelas estruturas físicas digitais, tornando a interação homem-máquina ainda mais versátil. Ao preparar os estudantes para a próxima vida e para trabalhar com o IR 4.0, é possível substituir as pessoas que trabalham em campos específicos por robôs mais inteligentes. A educação requer a utilização de informações e competências relevantes que não podem ser substituídas por robôs.

A revolução digital da Educação 4.0

Mais informações

Indústria 4.0:

Séculos de práticas de memorização

Educação 1.0:

Aprender através da Internet

Educação 2.0:

Consumo de conhecimento e mão-de-obra

Educação 3.0:

Permite que a educação crie mudança

Educação4.0:

Graças ao rápido desenvolvimento da Indústria 4.0, a Educação 4.0 deve evoluir da atual educação 2.0 para 3.0 / 4.0.

Mais informações

O crescimento da investigação moderna mostra que a educação deve acompanhar o ritmo do mundo estudantil e proporcionar aos estudantes um futuro seguro e sustentável. A Educação 4.0 utiliza tecnologias e ferramentas únicas para criar um ambiente semelhante para ambos, assegurando que a experiência educacional é semelhante à experiência de trabalho. Portanto, a Educação 4.0 é um método de aprendizagem mais realista e prático, que pode produzir excelentes resultados para a aprendizagem dos estudantes.

Mais informações

O futuro da sala de aula: tendências emergentes na educação do pré-escolar até ao 12º ano - edição Espanhola

O Google lançou um Relatório Global baseado no futuro da sala de aula, uma vez que esta está a evoluir mais rapidamente do que nunca. O objetivo é ajudar os professores do mundo inteiro a terem ferramentas para prepararem os alunos para desafios que ainda não existem. Desta forma, publicaram uma lista de tendências emergentes na educação em sala de aula, tais como: responsabilidade digital, preparação para a vida pessoal e profissional, pensamento computacional, salas de aula colaborativas, entre outras, baseando-se em competências transversais em vez de capacidades técnicas. A melhor parte deste website é que é possível encontrar tendências por país e assistir a diferentes vídeos que podem ajudar os professores a transformar metodologias.

Indústria 4.0:

Google para a Educação

Mais informações

Espanha está a otimizar recursos através da tecnologia

80%

Os professores espanhóis afirmam que o uso da tecnologia na sala de aula tem um enorme impacto na motivação dos estudantes.

Os estudantes espanhóis com idades entre os 12 e os 19 recorrem a smartphones para fazerem os trabalhos de casa.

Fonte: Informe de resultados Espanha (2018)

Fonte: Cambridge Assessment International Education (2018)

Mais informações

Responsabilidade Digital

Inovação da Pedagogia

Aprendizagem liderada pelos alunos

Três das tendências mais proeminentes nas salas de aula espanholas:

01

02

03

Mais informações

Futuro da Educação e das Competências OCDE 2030

Este relatório pretende realçar que a educação não se trata apenas de transferência de conhecimentos, mas também de ensinar os estudantes a desenvolverem competências, valores e pensamento crítico para enfrentarem um mundo cada vez mais complexo, com a necessidade de ser mais inclusivo e sustentável para todos. O Comité de Política de Educação da OCDE em 2015 reconheceu a importância da mudança educacional com base nos alunos. O projeto Futuro da Educação e das Competências 2030 foi lançado em 2016 com o intuito de ajudar os países a preparar os seus sistemas educativos para o futuro. Atualmente, o projeto está na segunda fase, que se centra na conceção de ambientes de aprendizagem para estudantes com diferentes competências, atitudes e valores. Isso implica que todos eles aprenderão de forma diferente, pelo que um currículo estático não se enquadra neste esquema, e por isso, os currículos terão de ser dinâmicos e personalizados para assegurar o desenvolvimento do estudante.

Indústria 4.0:

Mais informações

O futuro, por definição, é imprevisível; mas se estivermos sintonizados com algumas das tendências que atualmente dominam o mundo (OCDE, 2019[1]) podemos aprender - e ajudar os nossos filhos a aprender - a adaptar-se, a prosperar e até a moldar o que quer que o futuro nos reserva. Os estudantes precisam de apoio no desenvolvimento não só de conhecimentos e competências, mas também de atitudes e valores, que os possam conduzir a ações éticas e responsáveis. Ao mesmo tempo, precisam de oportunidades para desenvolver o seu engenho criativo para ajudar a impulsionar a humanidade para um futuro brilhante.

Mais informações

O projeto Futuro da Educação e das Competências OCDE 2030 observou algumas características inovadoras dos sistemas educativos que estão agora a emergir, mas que podem tornar-se o "novo normal" nos sistemas educativos de amanhã.

Mais informações

Tendências de Transformação Digital:

A transformação digital refere-se ao "uso de tecnologias digitais novas, rápidas e em frequente mudança para resolver problemas. É sobre a transformação de processos que eram não-digitais ou manuais para processos digitais". Por sua vez, uma tendência é "a direção geral para a qual algo se está a desenvolver ou a mudar".Como tal, as tendências de transformação digital referir-se-ão ao uso de diferentes novas tendências usadas na mutação da tecnologia digital para resolver problemas reais e atuais.

Fontes: Adage

Fontes: Lexico

A transformação digital utiliza "tecnologias digitais para criar novos processos empresariais, cultura e experiências dos clientes, -ou modificar o que já existe-, a fim de satisfazer os requisitos empresariais e de mercado, requisitos estes que estão em mudança. Esta reimaginação dos negócios na era digital é a transformação digital".

Fonte: Salesforce

À medida que as faculdades e universidades abraçam as inovações tecnológicas, a sua prioridade é melhorar a experiência dos estudantes - e fornecer ferramentas de aprendizagem de alta qualidade para o crescente número de estudantes diversificados. Um recente inquérito a 62 responsáveis pela tomada de decisões no ensino superior conduzido pelo Centro de Educação Digital (CDE) identificou as seguintes tecnologias como vitais para a transformação digital: conteúdo digital (58%), sistemas de informação de estudantes (SISs)/ sistemas de gestão de aprendizagem (LMSs) (44%), e tecnologias de automação (39%).

Tendências Tecnológicas no Ensino Superior

Mais informações

Tendências Tecnológicas Digitais

"Os líderes do ensino superior querem fornecer aos estudantes ferramentas tecnológicas para melhorar as suas experiências de aprendizagem, tanto no campus como fora dele."

Centro para a Educação Digital

Inquérito de Pesquisa

Tendências Tecnológicas no Ensino Superior

Os especialistas diferem muito, como na definição de socialismo, quanto ao momento em que o Covid-19 nos deixaria. Até mesmo os líderes mundiais encontram-se impotentes perante o vírus dos electrões microscópicos. O que se segue após o Covid é um mistério desconcertante. Uma coisa é certa: a vida nunca mais voltará à era pré-corona. Tendo em conta as tendências que surgiram no campo académico durante estes tempos pandémicos, podemos fazer certas extrapolações inteligentes. A educação, um motor de mudança, desempenha um papel vital na garantia da qualidade de vida. O seu estilo está destinado a sofrer uma transformação significativa.

COVID-19: O que se segue para o setor educativo?

Mais informações

Tendências de Transformação Digital

"A Covid-19 deu o pontapé de saída para uma revolução no ensino e aprendizagem."

The Week

Artigo Online

COVID-19: O que se segue para o setor educativo?

O Modelo dos Cursos Online

Um professor tradicional não é capaz de mudar tão facilmente como um professor online eficaz. Isto exige uma formação maciça de milhões de professores. Temos de ter em mente que não estamos perante uma formação à distância ou um conjunto de cursos por correspondência.

O reverso da moeda

Nenhuma habilidade prática pode ser desenvolvida sem a orientação próxima de um instrutor. O ensino online de crianças em níveis inferiores não será eficaz, uma vez que os seus movimentos têm de ser continuamente monitorizados pelo professor.

O mérito dos Programas Online

As aulas em vídeo podem ser vistas repetidamente sempre que os alunos se sintam à vontade. Estes podem colher os benefícios de aulas com os melhores educadores do.

Outros impactos

Um sistema híbrido que combine o ensino tradicional em sala de aula com exercícios online ganharia popularidade. Os estudantes poderiam conseguir obter dois ou mesmo mais diplomas simultaneamente da mesma universidade ou de universidades diferentes no modo online.

A considerar:

COVID-19: O que se segue para o setor educativo?

Mais informações

Novas Profissões Digitais

Com a expansão da economia digital, a procura de muitos profissionais altamente remunerados de profissões tradicionais, como advogados, contabilistas, académicos e quadros médios está a diminuir devido ao que se está a chamar a revolução robótica.Isto não significa que estes empregos irão desaparecer de forma alguma, mas a concorrência está a aumentar rapidamente nas profissões tradicionais, o que significa que muitas pessoas que entram nestas profissões estão a trabalhar mais por menos dinheiro.

Fonte: DIY Genius

Novas Profissões Digitais

Felizmente, existem novas indústrias onde as hierarquias não estão bem estabelecidas, porque as competências necessárias para efetuar o trabalho só existem há alguns anos. São estas novas indústrias que irão impulsionar o próximo boom económico. Quem quiser posicionar-se para obter um rendimento muito mais elevado, deve começar a aprender as competências digitais altamente remuneradas nestas indústrias emergentes.

Fonte: DIY Genius

No relatório deste ano do LinkedIn sobre os Empregos Emergentes 2020, as funções da inteligência artificial e da ciência dos dados continuam a proliferar em quase todas as indústrias. A robótica, um sector emergente da indústria de inteligência artificial avaliada em 1,2 biliões de dólares, também fez a sua primeira aparição neste relatório. O relatório apresenta os empregos em grande crescimento e examina o que estas tendências significam para a força de trabalho. Utilizando dados do LinkedIn, o relatório é capaz de identificar os 15 principais empregos que surgiram nos últimos cinco anos, bem como as competências que lhes estão exclusivamente associadas, e perspectivas sobre as indústrias e cidades que contratam esta força de trabalho emergente.

Relatório de Empregos Emergentes 2020

Mais informações

Novas Profissões Digitais

A ciência dos dados está em plena expansão e começa a substituir as funções tradicionais.O aumento da cobertura dos seguros para a saúde mental está a impulsionar a procura de profissionais de saúde comportamental.Nunca é má altura para ser engenheiro.A aprendizagem online veio para ficar.

A ciência dos dados e inteligência artificial continuam a aparecer massivamente no relatório de Empregos Emergentes, mas outras funções afetas a vendas e saúde também asseguraram lugar na lista. As maiores tendências de emprego da lista do ano atual são:

O futuro da indústria da tecnologia depende largamente das competências das pessoas.Os carros inteligentes estão a chegar.Os empregos estão nas cidades secundárias.A tecnologia toma conta de Washington, D.C.O trabalho à distância passa a ser convencional.

Mais informações

Os 15 principais empregos emergentes (nos E.U.A.):

Especialista em Inteligência ArtificialEngenheiro de RobóticaCientista de dadosEngenheiro de Full StackEngenheiro de Fiabilidade de SitesEspecialista em Customer SuccessRepresentante de Desenvolvimento de Vendas

Engenheiro de DadosTécnico de Saúde ComportamentalEspecialista em CibersegurançaDesenvolvedor de back-endChefe do Serviço de FinançasEngenheiro de CloudProgramador de JavaScriptProduct Owner

Mais informações

Este relatório pretende elucidar alguns dos principais fatores que vale a pena ter em conta ao avaliar o efeito das novas tecnologias no futuro do trabalho e das competências. Combina uma síntese das provas científicas mais recentes e sólidas disponíveis com a investigação original do CCI sobre questões que têm sido frequentemente ignoradas pelos estudos existentes. Em particular, o relatório fornece novos conhecimentos sobre a interação entre automatização e organização do trabalho, a extensão e natureza do trabalho de plataforma, e os padrões das mudanças ocupacionais em todas as regiões da UE.

A Natureza Mutável do Trabalho

Mais informações

Novas Profissões Digitais

Na União Europeia (UE), a revolução tecnológica está a causar mudanças significativas no mundo do trabalho. Alguns postos de trabalho estão em risco de serem substituídos por máquinas. Outros postos de trabalho estão a ser transformados e alguns estão a ser criados. Como resultado, as competências de que necessitamos também estão a mudar. Ao mesmo tempo, novas formas de emprego estão a aumentar. As estruturas ocupacionais estão a mudar, levando frequentemente à polarização do emprego e dos salários, o que, por sua vez, pode aumentar as desigualdades.

Mais informações

"As tecnologias digitais não criam e destroem empregos, simplesmente: elas também mudam o que as pessoas fazem no trabalho, e como o fazem."

Publicação: A natureza mutável do trabalho

Mais informações

Menos afetado

Profissionais de saúdeGestores de hoterlaria, retalho e outros serviçosGestores administrativos e comerciaisChefe do Executivo, alto responsável e legisladorProfissionais de ensino

Altamente transformado

VendedoresProfissionais de serviços ao clienteProfissionais intermédios de saúdeTécnicos de informação e comunicaçãoProfissionais de cuidados pessoais

Mais afetado

Assistentes de preparação alimentarMontadoresProfissionais da limpeza e auxiliaresProfissionais da mineração, construção, manufactura e transporteCondutores e operadores de unidades móveis

Probabilidade de automatização por ocupação:

Mais informações

Com esta brochura, o "Design Digital" será recomendado como uma possível resposta a este dilema: Como é que um tempo de resposta curto nos ajuda se não temos uma visão clara ou se a solução é um alvo em movimento? De onde virão as inovações se houver falta de ideias? O "Profissional de Design Digital" é alguém cuja profissão é conceber a digitalização. Porque é que esta pessoa é diferente? Porque é que esta pessoa é importante? Encontrarás as respostas nas páginas seguintes.

O Profissional do Design Digital

Mais informações

Novas Profissões Digitais

Quando um termo parece ser ambíguo, é útil desconstruí-lo. Gostamos do seguinte entendimento do termo em três níveis:

DIGITIZAÇÃO

Conversão analógico-digital de dados e processamento de dados em formato digital - por exemplo, a passagem de um disco para um CD, ou de ficheiros em papel para formulários digitais.

DIGITALIZAÇÃO

DIGITAL TRANSFORMATION

Transferência de processos de negócio analógicos que já são entendidos para o mundo digital - por exemplo, a mudança. Mas como é que um tempo de resposta curto nos ajuda se não temos uma visão clara ou se a solução é um alvo em movimento? De onde virão as inovações se faltar fazer a transição dos negócios no balcão do banco para o banco online, ou de uma livraria física para a venda de livros online.

O desenvolvimento de modelos de negócio inovadores e estruturas sociais baseadas nas tecnologias de informação - por exemplo, serviços de streaming para filmes e música ou redes sociais.

Mais informações

Os designers digitais entendem a digitalização como um material que pode ser moldado. Eles ponderam as possibilidades e potencialidades da tecnologia em combinação com as condições económicas e os desejos e necessidades atuais ou futuros das pessoas.

O DESIGN DIGITAL COMO PROFISSÃO

Mais informações

É útil e utilizávelÉ elegante e estéticoÉ evolutivoÉ exploratórioCentra-se na pessoa como um todoAntecipa os efeitos dos seus resultados

UM BOM DESIGN DIGITAL...

Respeita a proteção e segurança dos dadosÉ sustentável e estimula a sustentabilidadeAprecia os meios analógicos e digitais por igualUsa meios digitais só quando necessário

Mais informações

Tendências do Mercado Laboral para a Contratação no Setor Digital

A economia digital tem potencial para melhorar a produtividade, os salários e o bem-estar social. Está a criar oportunidades de emprego em novos mercados e a aumentar os postos de trabalho em certas ocupações existentes. Uma vez que as tecnologias digitais permitem a produção de mais bens e serviços com menos mão-de-obra, também expõem alguns trabalhadores ao risco de desemprego ou diminuição de salários.

Fonte: OECD

Tendências do Mercado Laboral para a Contratação no Setor Digital

Também permitem mudanças na organização do trabalho, com implicações na capacidade das políticas e programas existentes para assegurar a inclusão no mercado de trabalho, a qualidade do trabalho e o desenvolvimento de competências. Para colher os benefícios da adopção das tecnologias digitais, governos, empresas, sindicatos e o mundo académico terão de enfrentar novos desafios económicos e do mercado de trabalho.

Fonte: OECD

Preparação para a Natureza Mutável do Trabalho na Era Digital

A transformação digital está a afetar profundamente a forma como as pessoas contribuem para as sociedades, vivem e trabalham, incluindo em termos do número e do tipo de empregos disponíveis. Embora as preocupações com o desemprego tecnológico generalizado possam ser exageradas, o impacto da transformação digital na natureza do trabalho e nas competências necessárias é muito real e já recai sobre nós. Muitas formas novas, produtivas e gratificantes de trabalho e de emprego estão a ser criadas como parte da transformação digital, mas, ao mesmo tempo, muitos empregos desapareceram e é provável que mais venham a desaparecer no futuro.

Mais informações

Preparação para a Natureza Mutável do Trabalho na Era Digital

O impacto da digitalização na força de trabalho depende das inovações tecnológicas e da adoção destas novas tecnologias, mas as estimativas da OCDE sugerem:

Outros 32% enfrentam grandes mudanças nas tarefas exigidas no seu trabalho e, consequentemente, nas habilidades de que precisariam para fazer o seu trabalho.

Cerca de 14% dos trabalhadores enfrentam um elevado risco de que as suas tarefas sejam automatizadas.

Estes trabalhadores vão precisar de se adaptar significativamente para terem sucesso no novo ambiente de trabalho digitalmente habilitado. A OCDE fez uma política de como preparar os trabalhadores para novos empregos e para a mudança, capacitar pessoas com um conjunto de competências para terem sucesso num mundo de trabalho digital e prepararem-se para um enorme desafio de formação.

Mais informações

Já não é opcional: procura por competências digitais por parte dos empregadores

Esta pesquisa foi encomendada pelo Departamento para o Digital, Cultura, Média e Desporto (DCMS) no Reino Unido. O seu objetivo é fornecer uma visão geral da procura de competências digitais e ajudar a informar o desenvolvimento de uma política de competências digitais baseada em provas. As competências digitais estão a tornar-se cada vez mais importantes na economia atual, e os empregadores indicam que cerca de um terço das vagas que consideram difíceis de preencher são, até certo ponto, atribuíveis à falta de competências digitais adequadas entre os candidatos.

Mais informações

Tendências do Mercado Laboral para a Contratação no Setor Digital

Mas o termo "competências digitais" cobre uma vasta gama de capacidades, conhecimentos e habilidades, tornando difícil conceber intervenções para responder às necessidades de competências digitais. Este relatório tenta iluminar a questão através da análise de milhões de anúncios de emprego online no Reino Unido para destacar as competências que os empregadores exigem. O seu objetivo é fornecer uma visão geral da procura de competências digitais e fornecer uma base útil para fundamentar uma política de desenvolvimento de competências baseada em evidências.

Mais informações

Mercado Laboral de Competências Eletrónicas e de Liderança Digital 2015-2020

A capacidade das economias de permanecerem inovadoras e competitivas depende da disponibilidade de competências dos trabalhadores qualificados, em conformidade com as tendências de mercado em rápida evolução. As tecnologias emergentes que impulsionam a transformação digital remodelam a maneira de fazer negócios e têm impacto na velocidade de mudança das habilidades e competências eletrónicas necessárias.

Tendências do Mercado Laboral para a Contratação no Setor Digital

Mais informações

Corrigir o desfasamento entre as competências disponíveis e as exigidas para a transformação digital da economia tem sido uma prioridade desde que a Comissão Europeia desenvolveu uma estratégia de cibercompetências a longo prazo. Embora o número de estudantes de TIC esteja agora a aumentar e os Estados Membros estejam a intensificar os seus esforços, as mudanças nas necessidades de cibercompetências com que se deparam os empregadores e a força de trabalho das TIC deixaram claramente as suas marcas.

Este documento descreve o desenvolvimento de cibercompetências na Europa, tanto para profissionais de TIC como para competências de liderança digital, analisa as mudanças no número de estudantes e licenciados em TIC como uma importante fonte de talento a entrar nesta força de trabalho, e elabora tendências de procura e oferta de cibercompetências e de competências de liderança digital para atualizar um cenário de previsão e previsão até 2020.

Mais informações

Empregos Digitais Atuais e Futuros

Existe uma crescente polarização de oportunidades no mercado de trabalho entre empregos de alta e baixa qualificação, desemprego e subemprego especialmente entre os jovens, rendimentos estagnados para uma grande proporção dos agregados familiares, e desigualdade de rendimentos. A migração e os seus efeitos no emprego tornou-se uma questão política sensível em muitas economias avançadas.

Fontes: McKinsey

Empregos Digitais Atuais e Futuros

O desenvolvimento da automação possibilitado por tecnologias que incluem robótica e inteligência artificial traz a promessa de maior produtividade (e com produtividade, crescimento económico), maior eficiência, segurança e conveniência. Mas estas tecnologias também levantam questões difíceis sobre o impacto mais amplo da automação nos empregos, competências, salários e a natureza do próprio trabalho.

Fontes: McKinsey

As rápidas mudanças no mercado de trabalho requerem o desenvolvimento de certas competências que tragam vantagens aos profissionais.

As novas Competências Fundamentais da Economia Digital

O documento "The New Foundational Skills of the Digital Economy" (As novas competências fundamentais da economia digital) refere-se às competências que os futuros profissionais terão de desenvolver. As rápidas mudanças no mercado de trabalho requerem o desenvolvimento de certas competências que, por vezes, trazem vantagens para os profissionais.

Com base no seu trabalho anterior, o Fórum de Educação de Alto Nível encarregou a Burning Glass Technologies de examinar as novas competências no mercado de trabalho da economia digital, a qual identificou competências-chave, mais precisamente 14 competências que se tornarão fundamentais na nova economia e na vida das pessoas. Estas competências foram identificadas para candidatos a emprego e funcionários que, se as tiverem e combinarem, terão uma poderosa vantagem global.

Mais informações

Empregos Digitais Atuais e Futuros

Estas 14 competências subdividem-se em 3 grupos inter-relacionados:

COMPETÊNCIAS HUMANAS

COMPETÊNCIAS EM BLOCOS DE CONSTRUÇÃO DIGITAL

COMPETÊNCIAS PARA A CAPACITAÇÃO DE NEGÓCIOS

- Comunicação- Criatividade- Pensamento crítico- Colaboração- Capacidade analítica

- Comunicação de Dados- Design Digital- Gestão de Projetos- Processos de negócio

- Privacidade e segurança digital- Programação de computadores- Desenvolvimeto de Software- Gestão de dados- Análise de dados

GRUPOS INTER-RELACIONADOS

COMPETÊNCIAS

Estas competências são procuradas na maioria dos empregos e não necessariamente na economia digital/tecnológica, embora apareçam com mais frequência em publicações nas áreas digitalmente intensivas da economia.

Mais informações

Os profissionais que contam com este conjunto de competências são chamados de profissionais digitais mistos. A combinação destas 14 qualificações pode não ser totalmente implementada. Por outro lado, se houver uma combinação destas qualificações, existe a possibilidade de desenvolvimento da carreira e de contribuir com uma vantagem. Além disso, se os trabalhadores desenvolverem estas competências, a empresa alcançará uma melhor posição no mercado.O artigo afirma que a valorização das competências que são dadas pelo candidato e pelo empregador é diferente. Não ficou claro se os candidatos não têm estas habilidades ou se não acham essencial assinalá-las. A procura de novos talentos, segundo as organizações, está a tornar-se mais complicada, uma vez que as pessoas não acompanham as exigências do mercado de trabalho.

Fonte: The New Foundational Skills of the Digital Economy

É importante não só adquirir, mas também divulgar as competências que são valorizadas e necessárias, pois isso traz uma vantagem significativa no mercado de trabalho atual e futuro. A educação deve continuar a desenvolver o trabalho cooperativo com as organizações, de forma a antecipar as necessidades do negócio em rápida mudança.Numa economia digital, aqueles que conseguirem adquirir tais habilidades tornar-se-ão muito mais adaptáveis, com maior poder de compra e assim melhorarão as suas perspectivas de carreira a longo prazo. Para que isto seja possível, é necessário que o fosso existente entre a procura e a oferta destas competências seja mitigado.O estudo da McKinsey & Co. afirma que a criação de novos empregos se deve à automação e inteligência artificial, e que mais de 1/3 das habilidades identificadas como necessárias em 2016 não serão mais necessárias no mesmo emprego em 2020. Portanto, as competências avançadas do passado tornar-se-ão as competências fundamentais do futuro.

Fonte: The New Foundational Skills of the Digital Economy

O relatório "Jobs of Tomorrow - Mapeamento de Oportunidades na Nova Economia" foi publicado pelo Fórum Económico Mundial, e continha as descobertas, interpretações e conclusões dos membros, parceiros e outras partes que foram registadas no Fórum, embora possa não corresponder às estimativas. Aborda as oportunidades que surgem com a criação de novas profissões, identificando-as e desenvolvendo-as como profissões do futuro.

A criação da empregos na economia digital é determinada pelas escolhas e investimentos feitos pelo governo.

Empregos do Amanhã - Mapeamento de Oportunidades na Nova Economia

Mais informações

Empregos Digitais Atuais e Futuros

Após um período de mudanças causadas pelas novas tecnologias, a Quarta Revolução Industrial criou 7 novos clusters profissionais emergentes que se tornarão 96 títulos individuais para novos empregos e oportunidades, com novas fontes de dados e abordagens inovadoras para acompanharem os empregos e competências emergentes. Oportunidades desiguais, deslocações e desigualdades salariais parecem estar cada vez mais presentes.

Este relatório centra-se na forma como as profissões do futuro vão impulsionar as competências nos campos humano e tecnológico.

Empregos do Amanhã - Mapeamento de Oportunidades na Nova Economia

Mais informações

Economia dos cuidadosVendasMarketing e ConteúdoDados e IAEngenharia e Computação na CloudPessoas e cultura

Este relatório centra-se na forma como as profissões do futuro irão impulsionar as competências nos campos humano e tecnológico, criando empregos ligados a:

Mais informações

Estes tipos de profissionais possuem habilidades distintas que podem ser divididas em cinco grupos:

De acordo com uma análise do Relatório da Empregabilidade Futura do Fórum Económico Mundial de 2018, estes grupos de profissionais emergentes proporcionam o aumento da empregabilidade, dado que as profissões do futuro serão responsáveis, mundialmente, por 6,1 milhões de oportunidades em 2020-2022, e a tendência é para que as taxas de crescimento aumentem ano após ano.

Competências para negóciosCompetências industriais especializadasCompetências gerais e transversaisCompetências tecnológicas básicasCompetências tecnológicas disruptivas

Mais informações

As competências requeridas pelos profissionais emergentes incluem diferentes habilidades, combinando competências técnicas e multifuncionais. O relatório especifica quais as aprendizagens/atualizações e competências específicas que são criadas em cada grupo profissional do futuro.

Como profissões do futuro, refletem uma necessidade crescente de novos serviços e produtos em todas as economias globais. Por um lado, a adoção de novas tecnologias dará origem a uma maior procura de emprego na economia verde, para funções na vanguarda da economia de dados e IA, bem como novas funções na engenharia, computação em nuvem e desenvolvimento de produtos. Por outro lado, há também uma necessidade de maior intervenção e interação humana na nova economia, criando assim uma necessidade de empregos na economia de serviços: papéis no marketing, vendas e produção de conteúdos, assim como papéis na vanguarda das pessoas e da cultura.

Mais informações

Com a criação e crescimento de novos mercados, activos transferidos em todos os sectores, ou know-how empresarial acumulado e novas competências utilizadas, observa-se uma mudança nas oportunidades de emprego com as necessidades do contexto tecnológico e económico, sublinhando que a transição para o novo mundo do trabalho será centrada no ser humano, na tecnologia e no ambiente

O dinamismo do mercado de trabalho mostra mudanças reduzidas com o crescimento do emprego dinâmico, seguido pela mudança e rotatividade da força de trabalho. Esta prosperidade do emprego no mercado de trabalho aumentará a necessidade de mudanças no sistema de contratação, tais como a utilização de competências e habilidades focadas na aprendizagem ao longo da vida e acreditação flexível nas transações do mercado de trabalho.

Mais informações

FUTURO viajante no tempo

O artigo "FUTURO Viajante no Tempo" aborda o futuro do mercado de trabalho, o rápido desenvolvimento tecnológico e como este acompanhará a globalização e a transformação de competências com flexibilidade, mantendo a recetividade tanto à inovação como à incerteza do futuro. Este artigo explica estudos de diferentes países que partilham como o uso da tecnologia irá moldar o nosso pensamento e comportamento e mudar o mercado de trabalho, explicando a utilidade dos jogos gamificados como guias e planeadores de carreira.

Mais informações

Empregos Digitais Atuais e Futuros

Estamos numa nova era da Globalização - a Quarta Revolução Industrial - que combina desenvolvimento tecnológico, mudanças demográficas e socioeconómicas num futuro onde as mudanças no emprego serão sentidas, exigindo novos tipos de competências, como resultado de grandes desafios e oportunidades sem precedentes. Os futuristas prevêem que "65% das crianças que entram hoje na escola primária terão um tipo de emprego que ainda não existe".

Esta Nova Revolução é caracterizada por desenvolvimentos no campo de:

O progresso tecnológico está a evoluir de uma forma colossal, tornando os processos de produção autónomos com recurso a menos trabalhadores.

Inteligência artificialRobóticaNanotecnologiaImpressão 3DGenéticaBiotecnologia

Espera-se que os empregos tradicionais desapareçam no futuro - funções relacionadas com a Administração, Produção e Vendas - e novos empregos são adaptáveis e flexíveis, onde o ambiente de trabalho se caracteriza por uma maior autonomia, tecnologia, redução do esforço físico e aumento das tarefas intelectuais e sociais. Com isto, é necessário transformar e adquirir competências - ditas "Competências do Século XXI" - que vão de encontro às necessidades em mudança, de modo a prosperar no local de trabalho e numa sociedade em constante evolução.

Mais informações

A mudança e aceitação de novas tecnologias

A evolução da aprendizagem

A capacidade de seguir as competências certas para realizar tarefas

A mobilidade do talento

A direção que as mudanças tomam no futuro será determinada pelas ações que são praticadas no presente. O Fórum Económico Mundial introduziu 8 cenários possíveis para o trabalho futuro, focado em quatro tendências:

Mais informações

Estes jovens têm um elevado domínio das ferramentas digitais, já que nasceram na era digital e nunca viveram num mundo sem Internet. Caracterizam-se por serem pragmáticos, orientados para o futuro, empreendedores e comunicativos de uma forma direta. No entanto, quando abordados sobre a "economia digital", afirmam que não se sentem preparados, mostrando que estão preocupados com o seu trabalho futuro.

O documento centra-se nas transformações que os nativos digitais, apelidados de Geração Z - uma geração motivada pelo dinheiro e pela segurança no emprego, que acreditam em carreiras que têm um propósito e uma paixão, embora considerem que há falta de oportunidades de emprego - irão encontrar nos empregos do futuro.

Mais informações

O projeto "FUTURE TIME TRAVELLER" também realizou um inquérito entre três grupos-alvo:

Todos os grupos foram questionados sobre a sua avaliação das competências necessárias para os jovens se prepararem para os trabalhos do futuro e as conclusões não coincidiram entre os três grupos-alvo.

As competências dos indivíduos são atualmente consideradas essenciais e decisivas para alcançar uma vantagem competitiva. É difícil estimar com precisão quais serão os requisitos para equipar os jovens com os conhecimentos e habilidades que eles precisarão nas suas tarefas de trabalho no futuro. Mas uma coisa é certa, eles devem concentrar-se em desenvolver competências que os diferenciem das máquinas, em vez de as abordar.

Mais informações

Profissionais da orientação vocacional

Responsáveis pela criação de políticas

Jovens da geração

Competências cognitivas (flexibilidade e criatividade)Competências digitais (avançadas)Competências de processamento (pensamento crítico para uso de lógica e razão)Competências de resolução de problemas complexosCompetências deliberativas (discernimento e tomada de decisão)Competências de gestão de recursos (motivar, desenvolver, guiar e identificar as melhores pessoas)

Quanto às competências esperadas dos trabalhadores no futuro, é provável que sejam competências particularmente importantes:

Mais informações

Contactos