Want to make creations as awesome as this one?

No description

More creations to inspire you

Transcript

START

A viagem dos cabazes na Área Metropolitana de Lisboa

Sabes de onde vem e para onde vai a tua comida?

QUIZ

Início

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

QUESTÃO 1/5

Quem produz os legumes que comes?

O supermercado

O vizinho

O agricultor

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

Apesar de muitos dos legumes que comemos virem do supermercado, não é o supermercado que os produz, mas sim o agricultor! E este processo corresponde à primeira fase do sistema alimentar: a produção.

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

Se tens um vizinho que produz os teus legumes, isso é bestial! Porém, deves lembrar-te que, seja por lazer ou profissionalmente, as pessoas que cuidam dos legumes chamam-se agricultores! E este processo corresponde a primeira fase do sistema alimentar: produção.

Próximo

Certo!

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Parabéns, acertaste! Sabias que a primeira fase do sistema alimentar se chama "produção" e começa com o agricultor?

QUESTÃO 2/5

Que ingredientes compõem uma compota caseira?

Abóbora, canela e açúcar

Abóbora, bolachas e sal

Abóbora, mirtilos e azeite

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

Podes colocar doce de abóbora nas tuas bolachas, mas não utilizas nem as bolachas nem o sal para o fazer. Esta fase do sistema alimentar chama-se processamento e transformação.

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

O azeite nunca deve ser utilizado para fazer doces - o óleo dificulta o processo e altera o sabor. E nós queremos sempre uma compota caseira saborosa, certo? Esta fase do sistema alimentar chama-se processamento e transformação.

Próximo

Certo!

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Certo! As compotas caseiras, para se conservarem durante mais tempo, devem levar por cada quilo de fruta, 800 gramas de açúcar e depois podes adicionar as especiarias que quiseres!Esta fase do sistema alimentar chama-se processamento e transformação.

QUESTÃO 3/5

Qual o caminho dos legumes até à tua sopa?

Do agricultor, no cabaz, até casa

Do supermercado até casa

Não sei fazer sopa!

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

Apesar dos legumes e das frutas serem, muitas vezes, comprados no supermercado, são produzidos por agricultores. A sua viagem começa na quinta e são distribuídos depois para os supermercados. A esta fase do sistema alimentar chamamos de distribuição.

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

Podes não saber fazer sopa, mas mesmo sim conhecer os legumes que a compõem. Já imaginaste a viagem que estes fazem no cabaz, desde do agricultor até tua casa? A esta fase do sistema alimentar chamamos de distribuição.

Próximo

Certo!

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

A este processo chama-se "distribuição" e é uma das fases que compõe o sistema alimentar. Já imaginaste a viagem que os legumes e as frutas fazem até chegarem ao teu prato?

QUESTÃO 4/5

Quantas doses de fruta e legumes deves comer por dia?

Não gosto de fruta!

5 doses por dia

10 bananas

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

Podes não gostar de fruta, mas deves fazer um esforço para consumir, pelo menos, 2 doses de fruta por dia e apostar numa boa dose de legumes! Estes alimentos são ricos em vitaminas muito importantes para o nosso crescimento. Chamamos a esta fase do sistema alimentar, o consumo.

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

10 bananas? Isso é muito pouco diversificado! Não devemos exagerar na quantidade de fruta e legumes a consumir. A dose recomendada é de "5 ao dia". Chamamos a esta fase do sistema alimentar o consumo.

Próximo

Certo!

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

A ingestão diária de fruta e legumes ronda os 400 gramas. Neste sentido, foi criada a ideia de "5 ao dia", ou seja, 5 doses de fruta e/ou legumes para um consumo diário. Chamamos a esta fase do sistema alimentar o consumo.

QUESTÃO 5/5

Onde devemos deitar as cascas das batatas?

No contentor amarelo

No compostor

Pela janela

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

O contentor amarelo serve apenas para reciclagem de plástico e metal! Nunca deites alimentos e comida para estes contentores! Procura sempre um compostor. Se não tiveres, que tal sugerires aí em casa criarem um? Existem ideias muito divertidas para criar um compostor no internet. A esta fase do sistema alimentar chamamos descarte.

Próximo

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Errado!

Nunca deites as cascas pela janela (ou qualquer outra coisa, alguém pode magoar-se!). Os restos de alimentos e as cascas podem ser utilizados para fazer compostagem. Se não tens um compostor perto de casa, que tal criares um aí em casa? A esta fase do sistema alimentar chamamos descarte.

Próximo

Certo!

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Muito bem! Os restos dos alimentos e as cascas (ou os chamados "resíduos orgânicos") podem servir para fazer compostagem! Já fizeste? É muito divertido e ajuda o planeta Terra! A esta fase do sistema alimentar chamamos descarte.

0/5

1/5

2/5

3/5

4/5

5/5

RESULTADOS

0 corretas

1 correta

2 corretas

3 corretas

4 corretas

5 corretas

Quiz SPLACH - Spatial Planning for Change

Não te preocupes se ainda não sabes tudo sobre o sistema de alimentar, o SPLACH está aqui para te ajudar!

2/5Sugerimos que na próxima visita ao mercado acompanhes os teus pais ecoloques questões aos agricultores. São eles quecultivam os legumes que comes na sopa e a fruta à sobremesa!

3/5Conseguiste acertar em mais de metade das respostas! Achas que da próxima vez consegues um resultado perfeito?

5/5Perfeito! Acertaste em todas!Declaramos-te “Agricultor Honorário”!

4/5Só te falta uma resposta certa para seres um especialista em sistemas alimentares... mas não te preocupes! Vê a nossa apresentação e aprende connosco quais os diferentes passosdos alimentosatéchegaremao teu prato!

1 não é mau, mas sabemos que consegues melhor! Fica atento aos próximos slides e sais daqui um pro!

Objectivos do SPLACH - Spatial Planning for Change

Sistema Alimentar

01

Perceber o que é o sistema alimentar da Área Metropolitana de Lisboa.

Sustentabilidade

02

Tornar o nosso sistema alimentar seguro, eficiente e sustentável para as gerações futuras.

Planeamento

03

Incentivar a criação de medidas de planeamento urbano que incorporem as dinâmicas do sistema alimentar.

A viagem dos Cabazes

A viagem dos cabazes pela Área Metropolitana de Lisboa

Legenda:

Neste mapa podes ver a distribuição de alguns cabazes biológicos da Área Metropolitana de Lisboa (AML)! Consegues imaginar a viagem que os alimentos percorrem?

Planeamento urbano e cabazes alimentares

Legenda:

Neste mapa podemos observar a relação entre o planeamento urbano (representativo dos Planos Diretores Municipais) e os cabazes biológicos da AML.

+ info

SPLACH - Spatial Planning for Change

O que é o sistema alimentar?

O que mudou no sistema alimentar da Área Metropolitana de Lisboa?

Como estudámos o sistema alimentar?

Que indicadores encontrámos?

Esquema do sistema AlimentarProduçãoProcessamento e TransformaçãoDistribuiçãoConsumoDescarte

Proximidade

Nuno, Biocabaz

“Nós temos uma base que é da relação de proximidade, que é muito importante o cliente conhecer quem é que está deste lado e quem é que lhe faz chegar as coisas a casa e perceber como é que as coisas funcionam e é muito importante a gente dar a cara nesse aspeto. Dá confiança e transmite tranquilidade aos clientes e durante a pandemia viu-se isso.”

Patrícia, Cliente, Amor p'la Terra

“Depois encontrei os cabazes do 'Amor p'la Terra' e.... gostei de várias coisas: primeiro, por ser um produtor local e era uma forma também de ajudar alguém que vivia aqui próximo da nossa zona, na zona de Sintra. Ajudar entre aspas, fazer esse consumo mais local e diminuir também um pouco a pegada ecológica.”

Cátia, Amor p'la Terra

“Sabem que nós somos produtores, sabem os métodos que utilizamos para trabalhar... E, portanto, é mesmo numa relação de confiança e de muitos anos, é numa... é importante referir que este negócio vem dos avós do meu marido, portanto nós temos clientes que são clientes da família há mais de 30 anos...”

Segundo projeto de vida Agricultura feminina

“Sim, sou eu. Sou eu que faço as publicações, sou eu que vou para a horta filmar, sou eu... aliás, se, se reparar na página, antigamente eu ia muito mais porque agora o meu tempo é menos e eu vou menos à quinta filmar. Mas ainda assim, pronto, esse trabalho passa tudo por mim, sou eu que faço as publicações na página, sou eu que faço os cabazes.”

Cátia, Amor pla terra

Família

“Mas aqui em casa, por exemplo, foi complicado porque tanto eu como a minha mulher, a gente teve que se... vá lá, mas ela que foi mais sacrificada, porque estava em casa a trabalhar, que ela podia estar em casa a trabalhar, ficava com os miúdos. Eu chegava a casa e tinha de ter um certo cuidado por causa da roupa, tira roupa, tirar tudo, chegar diretamente e ir para a banheira, para a casa-de-banho, pronto, ter esses cuidados.”

Nuno, Biocabaz

Vulnerabilidade

Nuno, Biocabaz

“Claro, e depois também ajudamos assim: se a gente tem alguma quantidade ou alguma coisa para doar, a gente costuma doar também para uma instituição que a gente já conhece, que eu já trabalho há muito tempo que é a Solfraterno. A Tia Céu a gente... Ela vem cá com a carrinha, leva e dá para as pessoas e pronto...”

Cátia, Amor p'la Terra

“Houve uma situação de uma cliente que felizmente as coisas compuseram-se, mas que durante a pandemia nós chegámos a oferecer-lhe um cabaz, por exemplo, porque ela teve três semanas sem fazer a encomenda e ao fim de três semanas questionei-a até com preocupação de que tivesse sido alguma coisa que a cliente não tivesse gostado...E eu perguntei-lhe. E ela disse “Não, pá, é que estamos os dois em lay-off, isto agora é complicado”. E eles têm uma filha pequena e eu disse ‘Olha faz favor eu vou arranjar uma encomenda e vocês venham buscar ao armazém’, porque para mim, é inconcebível. Eu saber que me sobram legumes ao fim do fim-de-semana e saber que há uma casa onde as pessoas não compraram porque tinham que pensar antes de comprar.”

Nova geração de agricultores

“Trouxe-nos mais clientes, não é, mais trabalho, mais clientes. E oportunidade de nos darmos a conhecer. Nós hoje em dia temos muitos clientes que vêm à loja, que vieram das entregas ao domicílio e que começaram a conhecer os nossos produtos e o nosso método de trabalho... E que estão fidelizados, percebe? Porque gostam das coisas, reconhecem a qualidade e o trabalho que é feito, e, portanto, é oportunidade nesse sentido também, obviamente que isso depois traz o lado financeiro, não é, se a gente trabalha o dobro...”

Cátia, Amor pla terra

Pandemia

António, Semear

“O que aconteceu primeiro foi que alocámos pessoas que estavam nos outros projetos que pararam completamente. Integrámos connosco aqui no Semear da Terra. E depois uma flexibilidade bastante grande da equipa, de um grande esforço, ou seja, deixou um bocadinho... o horário de trabalho... no sentido em que demos mais horas, demos um grande esforço para manter. (...) Então foi assim um período em que não ficámos entre aspas malucos por ficar em casa, mas por estar na rua com um... um excesso de trabalho grande.”

Patrícia, cliente Amor p'la terra

“No entanto, voltei novamente a utilizar os cabazes quando foi a questão do COVID? Porque nós consumimos, de facto, muitos vegetais e muitas frutas... E na altura da pandemia não nos fazia sentido estarmos a ir todas as semanas ao supermercado. Em que tivemos que ficar no confinamento. Então o que optámos foi por fazer, no supermercado compras maiores, por assim dizer mas que não eram dos frescos, ou seja, dos vegetais e das frutas.”

Cátia, Amor p'la terra

“Não, as pessoas na altura tinham medo de sair de casa... basicamente, era aquilo que eu sentia. E não estavam na disposição de ir para uma fila de supermercado porque tinham medo.... do que podiam apanhar na rua... Que é aquilo que eu estou a voltar a notar nalgumas pessoas... Quando me dizem ‘Ah, a partir de outubro vou... já não venho mais à loja, não vou tanto à rua, vou voltar a fazer encomendas ao domicílio’, porque as pessoas preveem... um aumento e já estão a precaver-se para isso.”

Queres saber mais sobre Sistemas Alimentares? Deixamos-te um conjunto de livros para aprenderes mais!

01

O site da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura tem muita informação para começares a pesquisar! Torna-te um expert em alimentação!

02

O livro Alfaces na Avenida. Estratégias para (bem) alimentar a cidade (2017) dos autores Rosário Oliveira, Sara Amâncio e Leonel Fadigas também é muito interessante para quem quiser pesquisar mais sobre questões alimentares nas cidades.

03

Para quem está mesmo determinado em tornar-se um expert, o livro Hungry City - How food shapes our lives, da autora Carolyn Steele, é essencial! Treina o teu inglês e aprende mais sobre sistemas alimentares!

Parabéns!

O projeto SPLACH - Spatial Planning for Change e o DINÂMIA'CET-IUL agradecem a tua participação na Noite Europeia dos Investigadores 2020!