Want to make creations as awesome as this one?

Trabalhos elaborados pelos alunos em pleno ensino à distância

Transcript

Trabalhos dos alunos

CLASSROOM/ BIBLIOTECA - LEITURA DIGIT@L

VIVER "ABRIL"HGP-EV 2.º CICLO

VAZIOS E CONCENTRAÇÕES HUMANASPORTUGUÊS-GEOGRAFIA3.º CICLO

+

+

+

+

+

+

+

A POESIA NOS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS GEOGRAFIA- PORTUGUÊS3.º CICLO

VIVER "ABRIL"PORTUGUÊS3.º CICLO

DIA MUNDIAL DO AMBIENTECIDADANIA-GEOGRAFIA 3.º CICLO

CIDADANIA EM TEMPO DE PANDEMIACIDADANIA3.º CICLO

NaturesArteCIDADANIA-GEOGRAFIA3.º CICLO

PlANO NACIONAL DE CINEMAPORTUGUÊS3.º CICLO

ARTE NA ESCOLAEDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA2.º CICLO

EM TEMPO E@DLER/ESCREVER UM DESAFIO CONSTANTE

Tíme to Share, Time to Covid

1

2

3

4

DESAFIOS 1.º CICLO

DESAFIO 1DESAFIO 2

DESAFIOS /AUTónomos 3.º CICLO

DESAFIOS CLASSROOM

DESAFIO 1DESAFIO 2 - 2.º CICLODESAFIO 2 - 3.º CICLO

DESAFIOS 2.º e 3.º CICLOS

Para que mundos os livros nos levam

Malala amanhã, uma história para contar

DESAFIO 3 - 1.º e 2.º CICLOS

Proposta de leitura - "Se eu fosse um livro" de Jorge Letria e André Letria (audiolivro)Desafio: Imagina que és um LIVRO e escreve sobre o que gostarias de SER e de DIZER ao mundo!

Info

1

2

3

TEORIA DE GESTALT

TRABALHOS DOS ALUNOS6.º ANO

MÓBILE

ESTRUTURAS

EDUCAçÃO VISUAL/TECNOLÓGICA 2.º CICLO

TRABALHOS DOS ALUNOS5.º ANO

TRABALHOS DOS ALUNOS6.º ANO

Banda Desenhada

TRABALHOS DOS ALUNOS5.º ANO

Tema: Viver “ABRIL”- Em confinamento, mas com LIBERDADE!

Atividade de articulação com Português 3.º CICLO

Proposta de trabalho:Entrevistar os vossos avós, sobre a forma como vivenciaram o dia da revolução de abril, em 1974, nomeadamente – que sentimentos, que inquietudes…

25 de abril de 1974 relatos dos nossos avós …

Trabalhos dos alunos/Comentários:No meu ponto de vista, a curta-metragem «Cuerdas» de Pedro Solis, vai para além de uma história triste. Esta, faz referência à discriminação, à persistência e à amizade. Ensina que desaprovar alguém baseados na diferença está errado; neste caso, apenas Maria comunicava e passava tempo com a criança com paralisia cerebral. Demonstra, de igual modo, que não devemos desistir do que queremos somente porque o futuro tomou um rumo inesperado cheio de imprevistos. Após a morte de Nicolas, e apesar de no início esta perda ter sido dolorosa, Maria continuou a ajudar crianças «especiais». Comprova, ainda, a importância da amizade; apesar do seu amigo ser diferente e ter «limitações», Maria continuava ao seu lado, a fazer tudo o que estava ao seu alcance para que este recuperasse. Mesmo depois de ter partido, Maria nunca o esqueceu e guardou sempre lugar para ele no coração.Ana Beatriz Carvalho 8ºB

Trabalhos dos alunos/Comentários:Cuerdas é uma curta-metragem de animação espanhola escrita e dirigida por Pedro Solis, em 2013. A curta metragem conta a história de duas crianças; Maria e um menino com paralisia cerebral, que superem as diferenças e aprendem juntos. A Maria tenta de todas as formas ajudá-lo a brincar e a integrar-se na escola. É uma história que nos ensina uma lição de amor, respeito pela diferença e pela amizade. Ao longo do vídeo, fica claro através do olhar de uma criança que somos todos iguais, e que quando temos um amigo de verdade, vencer toadas as dificuldades, é apenas uma questão de criatividade. Célia Nogueira 8ºB

Trabalhos dos alunos/Comentários:Na minha opinião, a curta-metragem “Cuerdas” de Pedro Solis García realizada em 2013, é uma curta-metragem muito tocante, pois trata-se de um rapaz com paralisia cerebral e uma colega chamada Maria que o quis ajudar. Maria queria fazer com que ele ultrapassasse esse momento, mas ela não consegue, pois o rapaz não resiste ao sofrimento e morre. Maria acaba a dar aulas a alunos com problemas na sua saúde (educação especial).Diogo Castro 8ºB

Trabalhos dos alunos/Comentários:Este filme decorre numa escola de acolhimento, onde certo dia um rapazinho com problemas motores e de comunicação entra na escola, para permanecer um determinado tempo. Maria, uma rapariga dessa mesma escola decide interagir e aproximar-se do menino, ela, sentia alguma feição para com ele, estava sempre lá para ele, mas o menino acabou por falecer, mas com um sorriso na cara. Este filme é maravilhoso, a forma como Maria facilmente interage com um rapaz com paralisia cerebral é incrível, penso que esta história transmite uma tese muito importante, ajudar o próximo sem relevância nas suas características. Gonçalo Costa 8ºB

Trabalhos dos alunos/Comentários:A curta-metragem é “Cuerdas” de Pedro Solis García. Conta a história sobre um rapaz com paralisia cerebral, rejeitado por todos os alunos, menos uma menina inocente e disposta a ajudar. Esta curta-metragem tem como ideia principal a solidariedade. É muito interessante e deixa-nos a refletir sobre como seria se tivéssemos na nossa turma/escola com uma pessoa com paralisia cerebral. É triste, mas feliz ao mesmo tempo, pois o rapaz morreu com um sorriso no rosto por causa da amiga Maria que no futuro continuou a lembrar-se do seu amigo. Com o ato de solidariedade, Maria conseguiu com que o menino fosse feliz e se sentisse incluído, naquela escola! Eduardo Oliveira 8º D

Trabalhos dos alunos/Comentários:Esta curta-metragem, Cuerdas de Pedro Solis, fala de um menino, Nicolas, com paralisia cerebral e de uma menina, Maria, que fez de tudo para o ajudar. Este filme tem boas cores, os desenhos animados são bem feitos e a música é bastante tranquila, isto dá-nos sensação de que é um bom filme e então suscita a s curiosidade para assistir. O filme transmitiu-me esperança, felicidade e tristeza, tudo ao mesmo tempo! Fiquei com esperança de ainda haver boas pessoas, com bom coração, no mundo. Deixou-me feliz porque a Maria nunca desistiu, mas deixou-me triste quando ouvi que o menino havia falecido. Na minha opinião, é um filme que todos devemos assistir porque em apenas 10 minutos, conseguimos ganhar uma nova perspetiva da vida. Todos nós merecemos divertir-nos e merecemos que ninguém desista de nós. Este filme também me comoveu bastante devido à sua história. Lara Pereira 8º D

Trabalhos dos alunos/Comentários:Na curta-metragem Curdas de Pedro Solis, Maria vai saltando pelo corredor até que encontra um menino chamado Nicolas. Este chamou-a muita atenção, era diferente de todos os outros, pois tinha nascido com paralisia cerebral. Maria fazia de tudo para o ajudar e animar, brincando com ele, falando com ele… até que um dia ela estava a passear novamente pelo corredor e viu a cadeira de rodas de Nicolas, mas este não estava lá. Então Maria dirigiu-se à cadeira de Nicolas e pensou que este já andava, pois tinha deixado um pedaço de corda na cadeira. Passado alguns segundos, Maria ouviu a diretora a falar e ela pensando que Nicolas pudesse esta ali foi lá espreitar, mas ouviu a diretora a falar que este tinha falecido. Na minha opinião, esta curta-metragem marcou-me imenso, pois não podemos julgar nem discriminar as pessoas pela aparência, mas sim como são por dentro. Soraia Rodrigues 8º D

Trabalhos dos alunos/Comentários:Na Curta-metragem Cuerdas de Pedro Solís transmite um voto de solidariedade; não deixar ninguém indiferente pelos seus problemas. Retrata a história de uma menina chamada Maria, que nos intervalos das aulas deixava de brincar com as suas amigas e ia brincar com Nicolas, que tinha paralisia cerebral. Eu tenho a certeza que ela gostava dele, fez de tudo para ele sentir-se bem e igual aos outros, um amor não correspondido. Ela mesmo com as amigas e amigos a dizer que era indiferente, foi sempre brincar com o menino. Transmitida de forma simples e de forma comovente uma mensagem para refletirmos sobre os nossos atos. A ideia que tentam transmitir nota-se que é para não deixarmos ser indiferentes, perante as necessidades dos outros e para tentarmos sempre, sermos boas pessoas, porque ao ser uma boa pessoa, seremos felizes e fazemos os outros. Na minha opinião, a história permitiu-me refletir sobre as minhas atitudes e um dia não deixar ninguém indiferente, pela sua forma de ser. Espero um dia fazer voluntariado com essas pessoas, para me sentir bem e fazer nos outros felizes como eu.Sérgio Martins 8º D

Trabalhos dos alunos/Comentários:Na curta-metragem espanhola “Cuerdas” de Pedro Solis Garcia, retrata a grande ligação entre um menino chamado Nicolas com paralisia cerebral e imensas limitações, e uma menina chamada Maria. Desde o primeiro dia que se viram, Maria ganhou uma grande afeição pelo menino e incluiu-o sempre nas suas brincadeiras, fazendo dele uma criança como as restantes, ao contrário dos outros colegas de turma que o excluíam. Esta pequena história tocou-me bastante no coração, pois a relação destas duas crianças era extraordinária e muito humilde. A morte de Nicolas também me abalou muito, pois até me vieram as lágrimas aos olhos. Na minha opinião, não existe um tema em concreto, mas sim vários como o amor, a solidariedade, o acolhimento e a igualdade. Considero que esta curta-metragem deveria ser vista por todos, pois dá-nos uma grande lição como a aceitação das diferenças dos outros, algo que hoje em dia, no geral, nem todos aceitam essas diferenças. Victória Pereira 8º D

Trabalhos dos alunos/Comentários:Cuerdas é uma curta-metragem de animação de Espanha que foi escrita e dirigida por Pedro Solis Garcia em 2013. Recebeu o Prémio Goya de melhor curta-metragem de animação em 2014. Este filme conta a história de uma menina que vive num orfanato e ao conhecer o novo amigo da turma, um menino com paralisia cerebral, ela tenta ajudá-lo de todas as formas a brincar e a fazer parte da rotina escolar. A ideia principal do filme é mostrar que uma pessoa não deve ser discriminada pelos seus problemas ou limitações, porque todos somos humanos e pode acontecer a qualquer um. A Maria foi uma menina muito boa e corajosa, porque apesar de estar a ser gozada pelos meninos do orfanato, continuou a brincar com o amigo e a ser boa para ele, para que este não se sentisse sozinho e posto de parte. Eu gostei muito desta curta-metragem devido à sua forte lição de vida e à sua grande moral. Nuno Gonçalves 8º A

Trabalhos dos alunos/Comentários:Este filme transmitiu-me alegria e tristeza. Transmitiu-me alegria por haver uma pessoa que se importava realmente com Nicolas que tinha paralisia-cerebral, essa pessoa era a Maria. A Maria passava os intervalos com ele, apesar de ele não falar, não poder andar e etc…. a Maria estava sempre lá para brincar, divertir-se e até ajudá-lo a estudar! Maria gostava tanto dele que até imaginou ele e ela num baile os dois a dançar. Gostava mesmo muito dele, não queria perdê-lo! Transmitiu-me tristeza porque só a Maria é que falava com ele, os outros rapazes e as outras raparigas nem um olá disseram ao Nicolas. Mas a maior tristeza foi quando vi a Maria a saber que já não ia estar mais com ele, ela ficou destroçada. Mas Maria não se deixou ficar, no final tornou-se uma professora de educação especial. A Maria para mim representou uma mulher de garra. Eu considero que no final, o que este filme me transmitiu foi que devíamos ser todos como a Maria, não deixar ninguém de parte porque afinal SOMOS TODOS TÃO DIFERENTES E TODOS TÃO IGUAIS! Pedro Oliveira 8º A

Trabalhos dos alunos/Comentários:Na minha opinião, quanto à curta- metragem Cuerdas, não gostei da parte em que Nicolas chega à aula e os dois meninos afastaram-se da beira dele, só por ter paralisia cerebral. Eu gostei da parte que o Nicolas estava no recreio a olhar para os outros meninos a jogar futebol, só que ele não podia jogar, mas a Maria deixou as suas amigas e foi lá brincar com ele. Para mim, o filme transmite uma história de uma pessoa que teve paralisia cerebral e teve uma pessoa que o ajudou muito como a Maria. O autor faz o filme porque ele queria mostrar que Nicolas teve uma Maria na sua vida, uma pessoa que o ajudava em tudo o que ele precisava. Para mim o tema é a sobrevivência porque se não fosse a Maria ele podia não ter sobrevivido. A Maria só queria ajudar as pessoas como ajudou o Nicolas e por isso é uma pessoa com muito bom coração. O Nicolas era uma pessoa muito especial por causa da sua doença e ele queria brincar com os outros porque ele estava sempre sozinho, mas o problema é que quando ele queria brincar, todos fugiam dele por causa do problema que ele tinha. Concluindo, esta curta-metragem pode ser dedicada a pessoas de todas as idades retrata uma pessoa que só queria fazer o bem para o Nicolas e assim poderia incentivar as pessoas a fazer o mesmo. Eu já muitas vezes esta curta-metragem nunca me canso de a ver. Rúben Moreira 8º A

Trabalhos dos alunos/Comentários:A curta-metragem “Cuerdas” foi realizada por Pedro Solis García, numa história verídica que este viveu com os seus filhos. Este pequeno filme transmite-nos a história de um menino com problemas físico-motores, que não conseguia falar nem se mover. Este teve de ir para um colégio normal, onde conheceu Maria. Esta reparou que este não brincava como os outros meninos e, então, foi ter com ele e, com a ajuda de cordas, deu-lhe a oportunidade de jogar futebol, de saltar à corda, de brincar aos contos de fadas, de dançar… O rapaz começou a sorrir e a divertir-se! No entanto, depois adoeceu e não conseguiu resistir. Na minha opinião, o mais importante nesta curta-metragem foi a cumplicidade de Maria e o amor que esta deu ao menino. Esta podia simplesmente fazer como os amigos e continuar com as suas brincadeiras, todavia dedicou-se a ele. É realmente comovente como aquela criança não encontrou diferenças entre eles e ofereceu ao rapaz a sua felicidade! Podemos ver que a atitude de Maria fez uma mudança na vida daquele menino, este sentiu-se mais vivo e até conseguiu mexer-se, o que é uma vitória para as pessoas com estes problemas. Por fim, concluo que um pequeno gesto para nós, pode fazer toda a diferença para outra pessoa! Esta pequena história tem um final triste, mas também feliz, uma vez que, o menino faleceu com uma expressão de alegria, o que significa que Maria fez a sua parte! A nossa sociedade precisa de mais pessoas como a Maria para espalhar o amor neste mundo imperfeito! Emília Gomes 8ºB

Trabalhos dos alunos/Comentários:Esta curta metragem tem dois temas muito interessantes, a amizade e também um bocado de discriminação. Esta curta-metragem chama-se cuerdas (cordas) de Pedro Solis. Esta curta-metragem tem duas crianças que apesar de serem “diferentes”, Maria e Nicolas eram muito amigos, a professora que também gostava muito do Nicolas e os pais que estavam exaustos. Esta curta metragem retrata a história de uns pais que estavam exaustos de estar em casa com o filho que tinha paralisia cerebral, então levaram-no para uma escola onde foi discriminado pelos colegas, menos pela Maria, que o ajudou em tudo e o animou durante dias, até que um dia Nicolas fica doente e no dia a seguir falece, com isso Maria fica muito abalada e no final, aparece como professora de alunos com paralisia cerebral. Na minha opinião, esta curta-metragem é fantástica e tem uma história que retrata a uma vida real. Eu acho a menina incrível, porque ela não queria saber da opinião dos colegas, e brincava com o menino que tinha problemas. E também gostei dela porque notou-se que ela gostava mesmo dele, e provou isso quando ficou com a corda de eles brincarem e tornou-se numa professora de ensino a alunos com paralisia cerebral. Concluo que esta curta-metragem é um retrato da vida real, e isso foi o que mais me cativou para ver duas ou mais vezes e mostrar à minha família. Rodrigo Loureiro 8ºB

Trabalhos dos alunos/Comentários:Gostei muito de visualizar a premiada curta-metragem “Cuerdas” de Pedro Solis. Esta obra tem um grafismo excelente, a animação é bastante detalhada, todas as cores e pormenores apresentados tornam esta animação única. Trata-se de uma história de amor, amizade, persistência e solidariedade entre dois colegas de um orfanato. Maria, uma menina muito simpática, paciente e solidária e Nicolas, um menino com problemas físico-motores. Nesta história, o que considerei mais injusto, foi o facto de os pais de Nicolas o terem deixado no orfanato devido a problemas económicos, isto torna o filme ainda mais comovente! Acho que é retratada uma história fantástica, onde fui inspirada a nunca desistir, tal como Maria nunca desistiu do seu colega, a ser solidária e sobretudo a respeitar a diferença e as qualidades de todas as pessoas. Esta magnífica curta-metragem fez-me também, ver aquela realidade a que não estou sujeita todos os dias, pois nem todos nós convivemos com pessoas com problemas motores. Fez-me entender o dia a dia destas pessoas, a maneira como são tratadas por muitos e também a maneira como são tratados por quem os ama! A parte que mais me tocou foi sem dúvida o final, torna a história ainda mais comovente. A morte de Nicolas foi um momento duro de assistir, mas a recuperação de Maria foi fenomenal. Recomendo muito a visualização desta obra, pois é extremamente enriquecedora e dá-nos vários ensinamentos que ficam para toda a nossa vida! Raquel Silva 8ºD

Trabalhos dos alunos/Comentários:O filme “Cuerdas” de Pedro Solís, trata um tema muito especial, em que um novo aluno apresenta certas limitações derivadas à paralisia cerebral que são encaradas por Maria de forma “indiferente”, já que ela reage de maneira diferente que todos os seus colegas. Estas limitações, acabam por levá-la a “treinar” o novo aluno (Nicolas) para que ele se possa divertir como todos os outros. Derivado à doença, Nicolas acaba por falecer inspirando Maria a, futuramente, tornar-se professora de alunos com limitações. Eu diria que o tema principal deste filme é não encararmos a diferença como um problema, mas tratá-la de forma a que quem seja diferente, se sente integrado, neste caso, com os outros alunos, porque a Maria mesmo sabendo que o Nicolas apresentava características especiais, fez da sua imaginação o combustível para brincar com o Nicolas do jeito mais habitual possível. Para terminar, gostei imenso de visualizar este filme já que o mesmo me fez refletir sobre os meus próprios comportamentos com pessoas diferentes, quando posso trabalhar essas mesmas diferenças para aprender e inspirar-me para tentar tornar o mundo mais igual. Mafalda Gomes 8º A

1

2

3

4

DESAFIO - SENTIR E ESCREVER POESIA

POESIA VISUAL

LEITURA/ESCRITA - TEXTO DE OPINIÂO

POESIA/ARTE

Em tempo de E@DLer e Escreverum desafio constante

DESAFIO 1 - LIVRO "OS PIRATAS"

EscritArte 1ª PARTENome de flor a rimar e primavera ilustrar....

DESAFIO 2 - UM OLHAR CRÍTICO SOBRE A PANDEMIA

ESCRITA/ARTE

PoesiaArtePoemas inspirados no livro de José Jorge Letria "O Sonho é..."

SENTIR E ESCREVER POESIA5º ANO

Desafio proposto - escolher uma palavra e elaborar um verso

O LIMPA PALAVRAS

EscritArte 2ª PARTENome de flor a rimar e primavera ilustrar....

INSPIRAÇÂO - SENTIR E ESCREVER POESIA3º CICLO

DESAFIOS 1.ºCICLO

DESAFIO 1

Desafio - Convido-te a entrar na história e a imaginar que também foste merendar à casa da Mosca Fosca e estás ansioso por comer o maravilhoso bolo de amora.Então o Urso Lambeiro entra e come o bolo todo…Liberta a tua imaginação e escreve um diálogo com o Urso, onde lhe dás uma lição dizendo-lhe o que pensas sobre o comportamento dele.

DESAFIO 2

Desafio de Ilustração – Imagina que o autor e ilustrador deste livro, Pedro Seromenho, não teve tempo para ilustrar a capa. Então, vais pensar no teu avô, com muito carinho, e vais libertar a tua imaginação. Então, para ajudares o autor do livro, faz a ilustração da capa, seguindo as orientações que estão no classroom.

1

2

TRABALHOS

TRABALHOS

1

2

TEORIA DE GESTALT

GALERIA AE CELEIRÓS

TEORIA DE GESTALT

GALERIA AE CELEIRÓS

TEORIA DE GESTALT

GALERIA AE CELEIRÓS

MÓBILE

GALERIA AE CELEIRÓS

MÓBILE

GALERIA AE CELEIRÓS

MÓBILE

GALERIA AE CELEIRÓS

MÓBILE

GALERIA AE CELEIRÓS

ESTRUTURAS

GALERIA AE CELEIRÓS

ESTRUTURAS

GALERIA AE CELEIRÓS

Parabéns!

TEORIA DE GESTALT

GALERIA AE CELEIRÓS

DESAFIOS 2.º e 3.º CICLOS

DESAFIO 1

Desafio- Recontar a história, com recurso a um género literário à tua escolha. Conto “Sábio como os camelos” (José Eduardo Agualusa)

DESAFIO 2 - 2.º CICLO

Desafio- Registo de opinião sobre a narrativa do respetivo livro, de forma a motivar para a sua leitura.

1

2

3

TRABALHOS

TRABALHOS

1

2

3

TRABALHOS

DESAFIO 2 - 3.º CICLO

Desafio- Registo de opinião sobre a narrativa do respetivo livro, de forma a motivar para a sua leitura.

Atividade de articulação com as disciplinas de HGP e EV – 2º ciclo

03

02

Tema: Viver “ABRIL” - Em confinamento, mas com LIBERDADE!

Todos os desafios são válidos quando motivam para o conhecimento e despertam para a criatividade.Neste sentido, as disciplinas de HGP e EV, tirando o melhor partido do E@D, articularam entre si o conhecimento de factos históricos com a representação de ideias e sentimentos da arte gráfica/expressiva, na modalidade “Cartaz”.

01

Aprendizagens Curriculares

História e Geografia de Portugal – Democracia em Portugal: 25 de abril – Dia da LiberdadeEducação Visual – Comunicação Visual: Cartaz

Proposta de trabalho

Produzir um Cartaz, com elementos gráficos e informação escrita sobre o 25 de abril – dia da Liberdade, em Portugal!

04

Informação adicional

O Cartaz é um dos principais meios de comunicação da nossa sociedade, com diferentes finalidades que podem servir para anunciar, orientar, informar, ensinar, formar…Dá asas à tua imaginação e criatividade e transmite as tuas ideias, sentimentos, opinião crítica… baseando-te nos conhecimentos históricos do 25 de Abril de 1974, abordados na disciplina de HGP.

TRABALHO

Atividade integrada no PNC do Agrupamento e a disciplina de Português – 3º ciclo

02

Tema: O cinema como forma reflexão e expressão crítica da sociedade…

Todos os desafios são válidos quando motivam para o conhecimento e despertam para a criatividade.

01

Proposta de trabalho

Visualizar o filme e escrever um comentário sobre o mesmoCurta metragem "Cuerdas" de Pedro Solis

03

Informação adicional

Começar por indicaros dados do filme - título, diretor, atores outros…; identificar o tema (amor não correspondido, vingança, sobrevivência, solidão, solidariedade…); registar sentimentos e emoções que o filme transmite.Com base nestes registos comenta a ideia principal do filme e a tese a ser defendida, ou seja - opinião sobre o mesmo com recurso à argumentação.

REFLEXÔES

Atividade de articulação de GEOGRAFIA e CIDADANIA – 3º ciclo

02

Tema: Dia Mundial do Ambiente

Todos os desafios são válidos quando motivam para o conhecimento e despertam para a criatividade.Neste sentido, as disciplinas de Geografia e Cidadania e Desenvolvimento, tirando o melhor partido do E@D, articularam entre si o conhecimento e ao mesmo tempo sensibilizaram utilizando o tema da Sustentabilidade do Planeta.

01

Proposta de trabalho

Assiste ao vídeo no MISSÃO SECRETA. Com base nas informações fornecidas no vídeo elabora o teu contributo em vídeo ou através de um cartaz para que a missão seja um sucesso.O planeta TERRA agradece!

Atividade de articulação com as disciplinas de Geografia e Português

03

02

Tema: Vazios e Concentrações Humanas – 3º ciclo

Todos os desafios são válidos quando motivam para o conhecimento e despertam para a criatividade.

01

Aprendizagens Curriculares

Geografia - Vazios e Concentrações HumanasPortuguês – Domínio da escrita: correção linguística/postal

Proposta de trabalho

Construção de um postal: imaginar uma viagem à volta do Mundo com passagem por diversos locais, uns densamente povoados e outros com baixa densidade populacional. Pesquisar sobre locais escolhidos e selecionar um dos mesmos.

04

Informação adicional

O postal deve conter: descrição do lugar e relato da experiência de viagem, explicando os motivos da escolha, bem como a referência relativa à densidade populacional. O texto deve corresponder às regras do domínio da escrita - correção linguística/postal, que aprendeste em Português. No verso do postal, devem constar imagens que retratem bem as características atrativas / repulsivas desse local. Fazer pesquisas de informação e imagens considerando, para a respetiva publicação, a política dos direitos de autor.

TRABALHO

Atividade de articulação com as disciplinas de Geografia e Português

03

02

Tema: A Poesia nos Movimentos Migratórios

Todos os desafios são válidos quando motivam para o conhecimento e despertam para a criatividade.

01

Aprendizagens Curriculares

Geografia – Movimentos migratóriosPortuguês – Domínio da escrita: correção linguística – Texto poético

Proposta de trabalho

Poema Ladrão (trabalho de pares).

04

Informação adicional

Utilizar a seguinte dinâmica:leitura e interpretação dos poemas “Terra – 24”, de Fernando Namora e “Para os braços da minha mãe”, de Pedro Abrunhosa;discussão de ideias sobre os conceitos de “Emigração” e “Imigração; construir um poema, a partir de versos “roubados” aos poemas analisados tendo como referência, as aprendizagens adquiridas sobre “Movimentos migratórios”;atribuir um título ao poema.

TRABALHO

Atividade de articulação com a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento

02

Tema: Cidadania – Um Olhar Crítico sobre a Pandemia

Todos os desafios são válidos quando motivam para o conhecimento e despertam para a criatividade.

01

Proposta de trabalho

Constrói um texto de opinião sobre o problema/pandemia que se está a viver, a nível mundial, provocado pelo coronavírus. Para sustentares de forma coerente a tua opinião recorre às informações divulgadas no site da biblioteca e discutidas nas aulas de Cidadania.

TEXTOS

Atividade de articulação com as disciplinas Geografia e Cidadania e Desenvolvimento

02

Tema: NaturesArte – Comemorar o Dia da Terra

Todos os desafios são válidos quando motivam para o conhecimento e despertam para a criatividade.

01

Proposta de trabalho

Pega no telemóvel e dirige-te para a tua janela/varanda/outro do teu agrado. Contempla a natureza que consegues visualizar – montes, uma árvore, um rio, o céu, as nuvens, os pássaros… Tira uma fotografia ou, se preferires, faz um vídeo. Para enriquecer o teu registo, escreve uma mensagem que pode ser da tua autoria ou uma citação (referir o autor), que manifeste o valor de tudo o que pertence ao planeta Terra.Faz conexão com a natureza e liberta a tua imaginação e criatividade.

GALERIA DE FOTOS

Poema inspirado na Visualização da Curta Metragem de Animação "Cuerdas" de Pedro SolisPoema da Maria PedroMaria, que nome lindo! Maria, Nossa Senhora! Inspiras em nós beleza Que vem de dentro para fora! Que bom seria, certamente Que todos fossem mais amigos E em vez de apontar os dedos Por que não antes juntá-los?

Para que mundos os livros nos levam?Ler é uma escapatória à realidade que presenciamos diariamente. A leitura proporciona-nos sensações diversas; leva-nos a levantar num voo para a liberdade, a mergulhar nas profundidades da escuridão, a descolar-nos para diferentes mundos... Mundos estes, nos quais o passarinho que vive na nossa cabeça se liberta e transforma num ser como todos os seres humanos.Quando nos envolvemos numa leitura, observamos cada palavra tornar-se alguma coisa, vemos o vazio a preencher-se por cada detalhe que as letras permitem. Olhámos em volta e até o impossível aparece entre as gotas que caem do céu iluminado pelas estrelas.Os mundos que a leitura nos proporciona nem sempre são os que estão escritos. Estes são apenas frutos do que a leitura alimentou, são apenas frutos duma imensa imaginação que com os livros como motor, torna o impossível como objetivo a cumprir.Talvez ler seja um hábito de quem não se consegue contentar com apenas um mundo onde se possa viver. Talvez ler se torne o que nós quisermos que se torne. Talvez seja necessária apenas uma reflexão para todas as palavras que juntas encontram um sentido especial. Ou talvez não… Mafalda Gomes Nº9 8ºA

Malala - Ano de 2081.Malala encontra-se na sua casa junto dos seus netos. Durante uma conversa. Neto 1 - (em dúvida): Avó, quando eras pequena, como era a vida no teu país? Malala - (pensativa): Sabes meu filho, quando era pequena, a minha vida não era um mar de rosas, a minha vida era talvez a vida que ninguém imagina ser possível existir em pleno século XXI, mas que é uma realidade quotidiana de muitas crianças, nos países mais pobres. No meu país, a maioria das crianças, principalmente raparigas, não frequenta a escola e fica privada do que digo ser “a mudança do mundo. Por isso senti a necessidade de procurar pela educação essencial. Neto 2 - Mas isso não era perigoso nessa altura? Malala - A vida é perigosa! Podemos viver perigosamente ou não viver seguramente. E para que serve estar vivo sem se viver? Neto 2- Parece que tens razão, mas e se viver nos custar a vida?

Malala - Ano de 2081. (continuação)Neto 1- Sim avó, se morrermos não podemos viver! Malala - (com um sorriso na cara): Eu tenho uns netos tão pensadores, mas estão a ser muito negativos, meus queridos! A verdade é que a morte é um preço que todos iremos pagar um dia. Simplesmente não há forma de lhe fugir. Assim, não podemos viver com medo, com receio de que podemos morrer. Temos que aceitar que isso vai acontecer e viver mesmo sabendo que não ficaremos aqui para sempre. O melhor que podemos fazer é aproveitar enquanto cá estamos e viver ao máximo todos os segundos da nossa vida. Neto 1 - Avó quero te perguntar uma outra coisa. Malala - (questionando-se interiormente): Pergunta o que quiseres, querido. (Diz apertando as bochechinhas dos netos) Adoro contar o que sei aos meus netinhos preferidos. Neto 1- A mamã disse-me que uns homens muito maus quase te mataram, avó! Porque é que eles fizeram isso?

Malala - Ano de 2081. (continuação)Malala- Como já contei, eu vivi num país difícil e que estava em guerra com pessoas más. Eu não podia privar-me a mim mesma da aprendizagem de novos conhecimentos e experienciar diferentes eventos. Então, mesmo sozinha, decidi lutar pelos meus direitos e fiz da minha voz o meu maior poder. Neto 2 - O que aconteceu a seguir? Malala- Depois disto, a minha voz foi ouvida por boas e más pessoas. As boas estavam com receio de agir e provocar desacatos com as más. E as más pensaram que a melhor maneira de me fazer parar seria silenciar-me. Assim alvejaram-me na cabeça para que a sua missão não fracassasse. Mas não foi o suficiente. Eu lutei pela minha vida e os médicos fizeram tudo o que puderam. E eu sobrevivi. Depois disso não me calei. Continuei a lutar pelos direitos a que estava privada e, por todo o mundo, o meu apelo foi escutado fazendo de mim uma ativista dos direitos humanos. Neto 1- UAU! A avó é uma guerreira!

Malala - Ano de 2081. (continuação)Neto 2 - Sabes avó, quando for grande quero ser como tu já que pequeno nem a mãe me dá ouvidos. (Riem-se os três). Malala- Quero que vocês lutem pelo que acharem que está errado. Pelas desigualdades, pela pobreza, pelo ambiente ou por situações mais simples como eleger o delegado da vossa escolinha. Apenas nunca se esqueçam: Continuem a lutar. Realizado por: Mafalda Gomes 8ºA

Há pessoas diferentes Mas isso é só por fora! Pois se olharmos para dentro Somos todos tão iguais... Temos mãos para ajudar Temos braços para abraçar Temos pernas para caminhar Temos olhos para olhar Temos coração para amar... E se um dia vires alguém Que precisa de ajuda Não o olhes com desdém Deves antes fazer como a Maria das Cordas... Estende a tua mão Oferece o teu carinho

Abre o teu coração E dá a tua atenção Pois como se diz Na terra da Maria... Pode ser que seja assim, Um dia: Hoy por ti Mañana por mi... E assim serás feliz! E que feliz o mundo seria... Pedro Domingos 8ºB

Conto “Sábio como os camelos” (José Eduardo Agualusa) Reconto em verso "Há muitos anos, na Pérsia Vivia um Grão-Vizir Adorava muito ler E assim se divertir! Nos seus quatrocentos camelos Levava ele muitos livros, E por ordem alfabética Muito bem organizados! Que estranha Biblioteca Movimentada sobre patas, Desta cáfila ordenada Que fazia feliz seu dono Ao longo da caminhada!

De repente, aconteceu Tragédia que entristeceu O Grão-Vizir que pensou Nunca mais conseguir ler. Mas eis que um pastor amigo Salvou todos seus belos camelos! Mas ai que não conseguiuSalvar sua coleção Pois a deu de comer aos camelos Para de fome não morrerem, não! Mas com tal situação o pastor se arriscou A ter de cumprir por sorte 160 000 dias de prisão! Milagre, porém, aconteceu E os camelos falavam! Pois tinham agora dentro deles As histórias que contavam Em tardes que com alegria O Grão-Vizir alegravam!

Desde aí, por toda a Pérsia Era comum dizê-lo… Que alguém com sabedoria Era sábio como um camelo! Pedro Miguel, 8º ano - Celeirós

"Eu gostei da parte que quando Malala fala que estava revoltada depois de levar o tiro, não só pelo ato de violência de que foi alvo, mas acima de tudo porque não ouviram o que ela tinha para dizer. Essa parte, fez-me refletir sobre a sorte que temos. Por vezes zangamo-nos por coisas tão básicas e insignificantes, quando ainda existem culturas que discriminam as mulheres, negando-lhes o acesso à educação e falta de liberdade de lutarem por esse direito, que é universal.Mariana Correia – 6º ano

Gostei muito deste livro, na versão áudio, apesar de já ter tido a oportunidade de o ler, para a preparação de uma prova. Este livro aborda diversos temas como a imaginação, a criatividade e também a vida difícil de uma criança inocente, curiosa e sobretudo malandra, aquela malandrice que carateriza o mundo belo das crianças. O que me marcou nesta narrativa foi, sem dúvida, o seu desfecho que, na minha opinião, é frustrante, injusto e muito emocionante. Demonstra que podemos perder tudo e todos de um dia para o outro sem que possamos fazer algo para o evitar! Aconselho muito a sua exploração pela parte de todos os que tiveram esta oportunidade, pois afinal não é apenas um livro e sim uma história, que nos mostra a face dos infortúnios da vida e que nos leva a refletir… Raquel Silva - 8º ano